Plantas - Winterflor Floricultura

Tipos de substratos para plantas: saiba qual é o ideal para você

Provavelmente todo mundo sabe que para uma planta crescer ela precisa estar na terra. O que, de fato, é verdade, ainda que algumas espécies possam crescer na água ou na areia. No entanto, é possível controlar e melhorar a qualidade da terra utilizando alguns tipos de substratos para plantas.

Mas, afinal, o que são substratos? Qual é o melhor para cada ambiente e cada espécie? É o que vamos te explicar a seguir!

Confira os tópicos que você vai ler a seguir:

Foto: JComp/Freepik.

O que são substratos para plantas?

Substratos para plantas são, em resumo, uma fórmula composta pensando nas necessidades de cada espécie. Na composição de um substrato está, além da terra pura, elementos naturais ou sintéticos. O objetivo desses elementos é fazer não só que a planta tenha nutrientes suficientes, mas que também os absorva melhor.

Existem, então, 3 tipos de substratos para plantas: os orgânicos, os minerais e os sintéticos. E cada um deles pede cuidados específicos. Afinal, substrato é apenas uma das coisas que fazem parte do plantio. Além deles, é interessante que você converse com um florista profissional para falar também de adubos e condicionadores de solo – que são coisas bem diferentes.

Características dos substratos para plantas

A principal característica dos substratos é a questão tátil. O substrato é uma mistura interessante de texturas. E, ainda que o destino seja sempre fortalecer o local da planta, os substratos não são todos iguais.

Alguns, por exemplo, são capazes de guardar mais água, enquanto outros não têm a mesma absorção. Já outros são feitos para deixar o solo respirar, diferente de alguns que abafam.

Podemos, assim, dividir os substratos em 4 categorias: muito secos, secos, úmidos e muito úmidos.

Exemplos de tipos de substratos de acordo com cada categoria

A seguir, vamos explicar como os principais tipos de substratos para plantas funcionam.

Tipos de substratos para plantas: quais são eles?

Como vimos anteriormente, a lista de materiais que podem compor um substrato é grande. E numa boa floricultura você vai encontrar uma variedade enorme. No entanto, para você não ficar perdido com tanta opção, vamos te explicar a função dos principais tipos.

Fibras de coco para plantas
Fibra de coco – Foto: Alibaba

Fibra de coco

A fibra de coco é um tipo de substrato ótimo para aquelas plantinhas que precisam de mais água. Além de uma boa absorção, a fibra de coco é capaz de deixar o Ph da terra neutro. Para as orquídeas, por exemplo, esse tipo de substrato ajuda a recriar com fidelidade o ambiente natural da planta.

Falando em orquídeas, você pode pedir com a Winter um substrato especial para a espécie.

terra vegetal
Terra vegetal – Foto: DNA Florestal.

Terra vegetal

A terra vegetal é, sem dúvida, um dos substratos mais utilizados porque se adapta à maioria das plantas. Aqui na Winter, por exemplo, você encontra a terra em pacotes fechados, pronto pra levar pra casa. E o diferencial da terra vegetal é que ela não vem apenas terra, mas uma mistura de compostos fertilizantes.

Areia
Areia – Foto: Vida Suculenta.

Areia

Ao contrário da terra, lugares com muita areia geralmente não são um solo muito rico em flores. Porém, o material é um dos tipos mais interessantes de substrato. Para algumas espécies, inclusive, a areia é fundamental.

Plantas que precisem, então, de substratos mais permeáveis, como os cactos e as suculentas, ganham um reforço enorme com o uso de areia. E, claro, não deixe de considerar os diferentes tipos de areias, pois existem das mais grossas às mais finas. Quanto maior o grão, mais seco ele é.

Aqui na Winter você encontra substratos especiais para cactos e suculentas de diferentes marcas. Peça direto no WhatsApp.

Argila expandida - tipos de substratos para plantas
Argila expandida – Foto: Rei da Grama

Argila expandida

Como resultado do uso da argila expandida, é possível ter um solo mais bem drenado. Isso acontece por conta da solidez dos grãos da argila, geralmente utilizada no fundo dos vasos. Entretanto, a utilização da argila por cima também é uma boa opção para evitar a evaporação total da água disponível.

A argila expandida é ótima para aquelas plantas que não podem ficar muito encharcadas e que precisam de quantidades equilibradas de hidratação.

Aqui na Winter também tem argila expandida! Peça aqui pelo nosso WhatsApp.

Casca de pinus como substratos
Casca de pinus – Foto: Global Pedras

Cascas de madeira pinus

Uma das coisas mais interessantes das cascas de madeira pinus é que elas são um ótimo substrato para aquelas plantas que crescem em forma de árvore. Ou seja, aquelas que tem o caule do tipo tronco, independente do tamanho. As orquídeas são um bom exemplo de planta que precisam de substrato de pinus.

O pinus é um substrato orgânico mais seco, ou seja, a função dele é deixar o solo menos úmido. Além disso, por ser orgânico, simula muito bem o habitat natural das plantas. E, vamos combinar, até ajuda na decoração, não é?

Turfa - tipos de substratos para plantas
Turfa – Foto: Mestre Bonsai.

Turfa

As turfas também são orgânicas, assim como o pinus, e são encontradas, principalmente, nas regiões de pântano. Mas pode ficar tranquilo que também dá para comprar em pacotes fechados. Elas naturalmente melhoram a drenagem e, igualmente, diminuem a compactação do solo com o tempo.

Por ter muitos nutrientes, as turfas são um dos substratos mais utilizados. Quando for escolher uma marca que embale as turfas, peça ajuda ao pessoal do nosso setor de garden para entender a concentração de outros enriquecedores adicionados ao produto.

Humus de minhoca - tipos de substratos para plantas
Húmus – Foto: AEASE

Húmus de minhoca

Tem nojo de minhoca? Saiba que elas são amigas da sua planta! Claro, não as minhocas em si e não apenas elas. O húmus é, na verdade, a decomposição de micro-organismos feita pelas minhocas. Esse processo libera nutrientes ótimos para as plantas tal qual o nitrogênio.

Clique aqui para pedir o seu no WhatsApp da Winter.

Perlita - Substratos para plantas tipos
Perlita – Foto: Global Minérios.

Perlita

Você provavelmente já viu a perlita em ação como substrato e achou que era só decoração. Aquelas pedras branquinhas, na verdade, são um tipo de vidro vulcânico que faz uma ótima drenagem e é super resistente. Além disso, a perlita é, geralmente, combinada com a fibra de coco e as turfas.

Vermiculita - tipos de substratos para plantas
Vermiculita – Foto: Agro 20.

Vermiculita

De todos os tipos de substratos para plantas que citamos aqui, a vermiculita é um dos mais versáteis. Ela é boa para germinar sementes, ajuda a produzir boas mudas e melhora muito a condição do solo.

A vermiculita é um mineral poderoso que retém água até 5 vezes o seu peso total, além de ter a função de aerar o solo. Perto dela, só a fibra de coco retém líquido com a mesma eficácia.

Substrato pronto/substrato universal

Por fim, temos ainda o substrato pronto, considerado um substrato universal. Você pode comprá-lo numa mistura já pronta aqui na Winter. Mas não se esqueça de verificar se é, de fato, o produto ideal.

Que tal experimentar uma mistura de fibra de coco, casca de pinus esterilizada e carvão vegetal? É só pedir pelo nosso WhatsApp!

Quando utilizar substratos para plantas?

Nem sempre utilizar substrato vai ser necessário. Em geral, o substrato é utilizado em três momentos-chave:

O tempo de utilização de substratos varia bem de espécie para espécie. Por isso é tão importante conhecer as características do que você está plantando, assim como qual é o tipo de solo.

🌵 🌿 🌳

Gostou de saber mais sobre substratos e como eles vão deixar suas flores e plantas ainda mais bonitas? Então não pode perder os outros artigo do nosso blog sobre jardinagem, flores, decoração, paisagismo e muito mais! Não importa se você tem um mega jardim ou se a sua casa só tem um vasinho. Temos dicas ótimas para todos!

E além do blog tem ainda mais conteúdo nas nossas redes sociais Instagram e Facebook. Te esperamos lá!

Até a próxima!

Flores de verão para jardim: as 7 melhores para a estação mais quente do ano

A estação mais quente do ano já está se aproximando! Isso porque dia 21 de dezembro é o início do verão no Brasil. Quem não gosta do calor da estação e de toda alegria, bom humor e relaxamento que ela traz? Além disso, o verão é sinônimo de muitas cores. Por isso, nada melhor do que as flores de verão para jardim para concentrar todas essas características em um só lugar: sua casa.  

Apesar de a primavera ser considerada a estação das flores, também existem muitas plantas que florescem no verão. Durante essa época do ano, seu jardim pode ficar mais fresco e colorido, proporcionando ótimos momentos de descontração e relaxamento.  

Você já pensou em ter várias flores de verão no jardim e aproveitar esse espaço para ler um livro, escutar uma música, admirar a paisagem ou receber suas visitas? Seria uma delícia, não é mesmo? Então, vamos conhecer as melhores plantas para a estação mais quente do ano

1. Zínia

As zínias são as plantas ideais para o clima quente e seco do verão. Elas não suportam baixas temperaturas e, principalmente, as geadas. Para seu bom desenvolvimento e crescimento, elas necessitam de luz solar direta por algumas horas diárias.  

A zínia possui uma floração abundante e muita colorida. As cores, normalmente, são em tons quentes que, certamente, darão mais calor visual à estação mais quente do ano. São perfeitas para o jardim de verão, você não acha? 

zínias no jardim de verão
Foto: Blog-Flores.pt

2. Gardênia

Famosa pelo seu aroma marcante, a gardênia floresce durante a primavera e o verão. Seu perfume doce e intenso já inspirou até um filme e música de nomes iguais: “Perfume de Gardênia”.  

A planta se adapta melhor a uma temperatura amena e gosta de climas com bastante umidade, típico do verão brasileiro, com sol e muita chuva. Para se desenvolver, ela precisa de muita luminosidade, de preferência sol pleno, mas não suporta bem o sol direto nos horários mais quentes (das 11h às 17h).  

flores de verão - gardênia
Foto: Blog-Flores.pt

3. Suculentas

Queridinhas da vez, as suculentas são plantas de sol. Fáceis de manutenção e resistentes a condições climáticas extremas, elas são as plantas tendências para decorar um espaço exterior ou interior. Se você quiser começar a decorar o seu jardim com suculentas, aqui embaixo tem lindas opções vendidas pela Winter. Basta clicar em “Comprar”.

Por armazenar água nas suas folhas, troncos e raízes, as suculentas são capazes de sobreviver com pouca água. Por outro lado, elas precisam de muita luz – a quantidade de horas de luz direta vai depender da espécie. Mas, no geral, as que têm folhas mais azuladas, suportam menos o sol forte. Você consegue encontrar suculentas com cores e formas de folhas diversificadas, facilmente adaptáveis a muitos tipos de jardins e climas, criando excelentes combinações com outras plantas.  

plantas da estação - suculentas
Foto: Blog-Flores.pt

4. Dálias

As dálias são lindas e fazem muito sucesso. É uma ótima opção de flor de verão para jardim, já que são fáceis de cultivar e adoram climas quentes. Um dos cuidados fundamentais para o desenvolvimento e crescimento da dália é a luz solar.  

Entretanto, elas devem ser protegidas dos ventos e não toleram o frio extremo. Assim como outras flores, as dálias florescem na primavera, mas, é no verão que atingem o seu melhor! Como resultado, apresentam uma grande variedade de cores, que adicionam vida aos vasos e jardins. Super a cara do verão, você não acha? 

Dálias coloridas no verão
Foto: Plantei.com.br

5. Equinácea ou flor-de-cone

A flor-de-cone traz todo o charme do verão para o seu jardim, já que apresenta uma grande variedade de cores, como o rosa, laranja, amarelo e branco. Essas opções fazem com que a decoração do jardim fique deslumbrante. Ela deve ser cultivada em local bem ensolarado e em solos bem drenáveis, pois não sobrevive a encharcamentos.  

Por outro lado, sombras à tarde propiciam cor mais intensa nas flores. Para você se apaixonar ainda mais, as flores atraem, principalmente, borboletas, e os frutos são consumidos por pássaros. O que você acha do seu jardim sendo visitado por borboletas todos os dias? Um sonho, não?  

Flor-de-cone para o verão
Foto: Plantei.com.br

6. Girassol

O girassol não poderia faltar nesta lista de flores de verão para jardim, não é mesmo? Como o próprio nome sugere, a planta “gira para o sol”, isto é, as flores acompanham o movimento do sol. Para cultivá-lo, é necessário um local bem ensolarado com, no mínimo, 4 horas de sol direto, todos os dias. 

As flores lindas e grandiosas demonstram a imponência e porte majestoso desta planta. Seu nome científico “Helianthus annus” significa “flor do sol”, traduzindo perfeitamente a beleza do girassol. Cenário perfeito para um dia lindo de verão, você não acha?  

Girassol flor de verão
Foto: Green Savers

Que tal começar a decoração do seu jardim com girassóis? A Winter tem algumas opções incríveis para você.

7- Margaridas

Por último, mas não menos importante, as margaridas – clássicas flores de verão. A margarida encanta por sua simplicidade e resistência. Ela se adapta facilmente a diferentes ambientes e é uma das principais escolhas para arranjos de vasos para decoração interna e buquês. Mas dão um charme todo especial aos jardins.  

Para cultivá-la, prefira locais bem iluminados e com sol. Você também deve regá-las regularmente, mas sem exagerar. Para favorecer o florescimento contínuo das margaridas, fique de olho nas podas. As flores murchas devem ser retiradas rapidamente para que outras brotem. Um jardim cheio de margaridas é inspiração em um dia de calor, não é mesmo?  

Margaridas no jardim de verão
Foto: Plantei.com.br

Dicas para cuidar das suas flores de verão para jardim

Com tantas flores lindas e facilmente cultivadas no verão, que tal aproveitar a chegada do calor para deixar o seu jardim mais bonito? Ou então, para dar início ao seu próprio jardim?  

Se você deseja começar o próprio canteiro nessa época, é importante anotar as dicas de cuidados com as plantas no verão. Afinal, as plantas são seres vivos, assim como nós. E, se nós precisamos de atenção redobrada com as altas temperaturas e o ar seco da estação mais quente do ano, elas também necessitam. Seguindo as orientações, você pode mantê-las sempre bonitas e saudáveis.  

Sombra e água fresca não fazem mal a ninguém

Evite regar as plantas ao meio-dia, sob o sol forte, pois a terra fica muito aquecida e a água irá evaporar antes mesmo de chegar às raízes. E não exponha diretamente as plantas ao sol durante muito tempo, porque elas podem sofrer queimaduras. A exceção é para aquelas que necessitam dessa exposição para o seu desenvolvimento.  

O ideal é regar as plantas uma vez a cada dois dias, no início da manhã ou no fim da tarde, já que o excesso de água também pode ser prejudicial. Para que as suas plantas possam curtir o sol do verão sem correr riscos, coloque-as numa zona fresca, que alterne períodos de sol e sombra.  

Faça a poda constante e retire flores e folhas secas 

A frequência correta do corte de ramos e folhas secas é muito importante, e não apenas para manter o jardim sempre bonito. Plantas ornamentais devem receber poda constante para que todos os nutrientes por elas absorvidos sejam utilizados na produção de novas folhas e flores, favorecendo o seu crescimento.  

Com o calor, é ainda mais importante ficar atento em recolher folhas e flores secas que caem na base de vasos e floreiras. É que durante os dias mais quentes, elas abafam o solo e dificultam a circulação do ar pela terra.  

Foto: Voz do Campo

Não dê espaço para as pragas 

A umidade das chuvas de verão faz com que as plantinhas fiquem deslumbrantes durante a estação. Mas, por outro lado, ela também contribui para que as pragas se fortaleçam nessa época. Por isso, você deve eliminar as ervas daninhas da terra próxima às plantas e se atentar aos parasitas e fungos que se desenvolvem no caule.  

Para uma efetividade maior no controle de pragas, você pode acrescentar fertilizante ou produtos específicos para pragas e parasitas nos seus vasos ou jardim.  Aqui embaixo, você tem opções de fertilizantes vendidos pela Winter, para adquiri-los basta clicar em “Comprar”.

Vamos recapitular as principais dicas para cuidar do seu jardim de verão? 

Espero que esse post tenha te inspirado a começar a cultivar o seu próprio jardim, ou então, a tornar o seu jardim ainda mais bonito para o próximo verão. Se você decidir dar início à jardinagem, que tal mandar fotos pra gente lá no nosso Facebook ou no Instagram? Vamos adorar receber e compartilhar com todos os nossos seguidores.

Fertilizantes para plantas: tudo que você precisa saber!

Você lembra como foi a sua primeira experiência cuidando de plantas? Ela foi de cara um sucesso ou levemente desastrosa? Para muitas pessoas, o que, inicialmente, parece algo fácil, logo parece ficar complicado. Afinal, com o tempo descobrimos que terra, água e sol não são as únicas coisas que fazem uma planta crescer bonita e saudável. Por isso, hoje a nossa conversa é sobre fertilizantes para plantas. Eles podem auxiliar no que está fora do nosso alcance.

Saiba, em seguida, o o que você vai encontrar aqui:

E muito mais! 🌻

Foto: Elementar.

O que são fertilizantes para plantas e flores?

Quando estão na natureza, as plantas e as flores vivem um processo natural de alimentação. Todos os nutrientes que elas precisam para sobreviver vão sendo constantemente repostos no solo. Eles vêm, principalmente, da decomposição de outras plantas de seres vivos que habitem o ecossistema. Assim, na natureza, as plantas não precisam de fertilizantes.

No entanto, muitos de nós temos a cultura de cultivar em vasos. E nesse tipo de espaço o ciclo de nutrição é bem mais limitado. Não ocorre como na natureza. Contudo, isso não quer dizer que o plantio em vasos é prejudicial. As nossas queridas plantas só precisam de uma ajudinha para crescer saudável.

É aí que entram os fertilizantes, que repõem no solo tudo que a planta precisa de minerais e vitaminas. E a fertilização precisa ser controlada, de acordo com cada espécie, e feita com o produto correto. Como veremos adiante, fertilizante não é tudo igual.

Foto: Bob Vila.

Fertilizante é agrotóxico? NÃO! Entenda as diferenças

Algumas pessoas ainda não aderiram aos fertilizantes para plantas por conta de alguns pensamentos equivocados. Frequentemente, alguns confundem com agrotóxicos, que realmente fazem mal. Por isso, é importante entender qual é a diferença entre as duas coisas.

A única semelhança é que ambos são produtos sintéticos. Porém, o agrotóxico é pensado para matar pragas que podem atingir uma plantação. Por outro lado, os fertilizantes são semelhantes a quando tomamos suplementos vitamínicos, ou seja, faz bem para as suas plantas!

De quais nutrientes uma planta precisa?

Cada planta tem, sem dúvida, suas particularidades. No entanto, três nutrientes são bons para todas: o fósforo, o potássio e o nitrogênio. Um bom fertilizante vai repor no solo essas três coisas. Entenda melhor a função de cada um:

Foto: Winterflor.

Quais são os tipos de fertilizantes para plantas?

Assim como nós dissemos anteriormente, os fertilizantes para plantas não são todos iguais. Eles têm diferentes dosagens de nutrientes bem como costumam vir indicando na embalagem para quais espécies eles são indicados. Algumas marcas, por exemplo, costumam ter números como 4-18-08 ou 10-10-10, que nada mais são indicativos da proporção de nutrientes.

Quanto aos formatos, no entanto, eles atendem a diferentes formas de aplicação:

Mas atenção! Sabe aquela máxima de que tudo em excesso faz mal? De fato, isso também vale para a nutrição das plantas. Tenha atenção às instruções da embalagem.

E antes de escolher e de aplicar um fertilizante, converse com um especialista da nossa loja pelo WhatsApp. Assim, você vai ter certeza da escolha e pegar dicas personalizadas de acordo com a sua necessidade. É só clicar aqui.

Foto: Winterflor.

Quando começar a aplicar o fertilizante?

Nas primeiras semanas desde o plantio, tudo que a planta precisa é de água e sol. Porém, entre a terceira e a quarta semana é o período ideal para começar a aplicar a reposição de nutrientes. Contudo, se a sua planta ainda é um bebê, as primeiras doses devem ser pequenas. O correto é ir aumentando gradativamente a quantidade de fertilizantes até que você chegue na quantidade máxima indicada na embalalgem.

Ao longo da vida da planta, você pode precisar de fertilizantes diferentes, que atendam, de fato, às quantidades ideais de cada nutriente. Entenda melhor como isso funciona a seguir:

Uma lista de cuidados na aplicação dos fertilizantes para plantas

Por fim, preparamos uma listinha que resume bem no que você deve ter atenção na hora de escolher e de aplicar os fertilizantes para plantas e flores.

🌼 🌼 🌼

Bora ter um jardim lindo e saudável?

Gostou das nossas dicas sobre o uso de fertilizantes? Agora é só aplicar esses conhecimentos na sua casa, no seu jardim… enfim, em todas as plantas que você quer ver crescer do seu lado.

Aqui no blog da Winter toda semana tem dicas incríveis de jardinagem, de paisagismo e muito mais. E sabe onde mais você pode ter conteúdo assim? Lá nas nossas redes sociais, te esperamos no nosso Instagram e no nosso Facebook. Se você ama jardinagem, cola com a gente!

Conheça 6 das flores mais bonitas do mundo

As flores são encantadoras por natureza e costumam fascinar até mesmo os olhares mais desatentos. Representando a beleza em sua forma mais pura, elas são um dos prazeres mais adoráveis ​​e simples da vida. O artigo de hoje traz um compilado de flores que são vistas como as mais bonitas do mundo. Quer saber quais são e por qual motivo elas são tão especiais? Continue a leitura e confira!

6- Plumeria

flores mais bonitas do mundo
Foto: Casa e Jardim.

Começaremos a nossa lista das flores mais bonitas do mundo com essas belíssimas plantas que chamam a atenção não só por suas formas delicadas e encantadoras, mas também por seu perfume único e marcante. Cultive-as próximas às janelas e áreas de lazer para que seu perfume invada o ambiente, fornecendo muito bem-estar e relaxamento.

A planta tem variações que vão de pequenos arbustos até mesmo árvores de pequeno ou médio porte que florescem de forma abundante do verão ao outono. Suas cores variam entre rosa, vermelho, branco e amarelo, além das variações resultantes de intervenção humana.

5- Coração sangrento

Foto: O Leme.

Apesar de o nome causar estranhamento, não tem nada de negativo sobre essa flor exótica e impressionante. Como o próprio nome diz, ela tem forma de coração e aparenta estar sangrando, o que faz com que sua beleza traga ao ambiente um ar misterioso e diferente. Definitivamente encantadora, é impossível ignorar a presença dessa planta chamativa e inconfundível.

Elas atingem até 50 centímetros de altura e a floração ocorre na primavera e no verão. Cultive essa flor sob meia-sombra, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Apesar de ser uma planta pouco popular, o seu cultivo não é considerado difícil, visto que ela exige pouca manutenção.

4- Dália

flores mais bonitas do mundo
Foto: Mundo Ecologia.

A dália é uma das flores mais exuberantes e vibrantes que você encontrará. Disponível em um arco-íris de cores que vão do rosa e vermelho ao laranja ou branco, algumas pétalas de Dália têm gradientes de cor impressionantes, como vermelhos brilhantes que gradualmente se transformam em brancos suaves ou roxos deslumbrantes que se iluminam do caule às pontas.

O cultivo dessas plantas são indicados principalmente para jardins. Apesar disso, é possível encontrá-las em vasos e arranjos. O cultivo é considerado fácil e a planta que tem uma longa vida não demora para florescer, sendo seus meses preferidos os da primavera e verão. Existem muitas espécies de Dália que variam em cor, tamanho e formas, mas todas essas variações são de fato impressionantes.

3- Ave do Paraíso

Foto: Pixabay.

Outra planta que se destaca por sua aparência exótica é a Ave do Paraíso, uma planta ornamental conhecida por alguns como Estrelícia. Como o próprio nome diz, a planta originária da África do Sul tem esse nome pois se assemelha a um pássaro de cores vivas com asas esvoaçantes e corpo esguio. Laranjas vibrantes, vermelhos e azuis compõem a impressionante flor, e as cores ganham ainda mais vida à luz do sol. 

Apesar de sua aparência complexa, o cultivo é relativamente simples. A planta é capaz de florescer durante todo o ano. Ainda que ela ame o calor, é possível ter sucesso no cultivo em temperaturas acima de 10 ºC, desde que ela tenha acesso à luz solar abundante e direta. Vale lembrar que mesmo que ela tolere temperaturas mais baixas, é necessário proteger a Ave do Paraíso das geadas e do frio severo

2- Flor de cerejeira

Foto: Essência de Diva.

Valiosas não só por sua beleza e perfume inconfundível, mas também por serem cheias de significado e simbolismo. Conhecida como “sakura” em japonês, essas flores são um símbolo de amor, beleza, renovação e esperança. Elas representam a primavera justamente por essa ser considerada como uma época de renovação. No entanto, como as flores têm vida curta, elas também simbolizam a natureza passageira da vida.

As cerejeiras têm melhor desempenho quando cultivadas a sol pleno. Ainda assim, elas também podem tolerar sombra parcial, mas precisam de luz solar direta entre quatro e seis horas por dia. Essas plantas não toleram altos níveis de calor, portanto, se você estiver cultivando a árvore em um clima quente, deixe-a em um ponto que haja um pouco de sombra à tarde. Isso colabora no desenvolvimento da planta pois ajuda a mantê-la resfriada.

1- Rosa

flores mais bonias do mundo
Foto: Winterflor.

Ninguém pode negar o fato de que as rosas são uma das flores mais bonitas do mundo. Associadas ao amor, pureza e carinho, essas flores não só têm um aspecto encantador, mas também uma fragrância que seduz a todos. Se você está procurando o buquê perfeito para dizer “eu te amo”, “estou com saudades” ou “parabéns”, você certamente deve presentear com rosas.  

Cuidar delas é mais fácil do que você possa imaginar – qualquer pessoa pode cultivá-las com sucesso. Plante suas rosas em um local ensolarado com boa drenagem. Fertilize-as e faça regas regularmente para manter o solo úmido e nutritivo e assim obter flores impressionantes. Elas podem ser encontradas em diferentes espécies, tamanhos e tons. As cores mais comuns na natureza são o vermelho, amarelo, rosa, branco e laranja. Rosas azuis e pretas também são uma possibilidade, ainda que não tenham essas cores naturalmente e sejam resultado da interferência humana, o que certamente não as torna menos belas e perfumadas.

Gostou do nosso artigo sobre as flores mais bonitas do mundo? Nós adoramos produzir esse conteúdo para você! Se deseja acompanhar a Winterflor para ficar por dentro de outros conteúdos como o que você acabou de ler, nos siga nas redes sociais Instagram e Facebook.

Aproveite para conhecer a nossa loja e falar com um de nossos consultores de venda através do WhatsApp para tirar suas dúvidas relacionadas aos nossos produtos. Obrigada pela leitura e até a próxima! 🌹🍃

Jardim vertical auto irrigável: tipos e como fazer

Foto: Estadão.

A falta de tempo não é mais desculpa para não cultivar plantas dentro e fora de casa! Com um jardim vertical auto irrigável, você poderá até mesmo viajar sem precisar se preocupar com a rega das plantas. Incrível, não é mesmo?

Existem diversas formas de colocar essa ideia em prática, e elas vão das mais simples, como fazer vasos auto irrigáveis com garrafa pet e barbante, até as mais complexas, que contam com sistemas automáticos completos que liberam a água nos vasos conforme são programados.

Ficou curioso? Então, continue a leitura para conferir os benefícios e tipos de jardim vertical auto irrigável. Você certamente irá sair daqui com muitas inspirações e ideias para montar o seu!

Benefícios do jardim vertical auto irrigável

Os jardins verticais são modernos, belíssimos e se encaixam em qualquer ambiente. Não importa se o intuito é decorar dentro ou fora de casa, nem mesmo se o espaço é grande ou pequeno, é sempre possível adaptar essa ideia de formas criativas. E se engana quem pensa que um jardim vertical auto irrigável é apenas sobre decoração: as plantas colaboram com a nossa saúde física, mental e com o bem-estar de quem as tem por perto.

Nesse sentido, possuir um sistema de auto irrigação eficiente torna esses benefícios mais alcançáveis para quem tem pouco tempo para cuidar das plantas. Saiba mais:

Como as plantas colaboram com saúde física

Foto: Namu.

A qualidade do ar melhora significativamente quando temos plantas nos ambientes, e isso é ótimo para nossa saúde em geral, principalmente a respiratória. 1

Ter um jardim auto irrigável é ainda mais benéfico pois isso irá garantir que o ar tenha mais umidade, e é claro que isso é maravilhoso, principalmente quando o ar está mais seco.

Além de colaborar com o controle de alergias como a rinite (mas lembre-se de optar por plantas que não soltam pólen nesses casos), existem ainda infinitas possibilidades: você pode cultivar plantas que exalam um cheiro agradável e relaxante no ambiente, plantas medicinais como chás calmantes ou energéticos ou ainda plantas que servem como alimento.

Como as plantas colaboram com a saúde mental e o bem-estar

Cultivar plantas tem se mostrado uma atividade que de fato auxilia pessoas com ansiedade e depressão a lidarem com seus sintomas. 2

A prática é recomendada por diversos terapeutas e médicos como aliada no tratamento desses pacientes. Mas é claro: isso não substitui de forma alguma o tratamento especializado com profissionais de saúde como psicólogos e psiquiatras.

E quando falamos em bem-estar, os resultados são incontestáveis. O contato com a natureza é incrivelmente benéfico e relaxante3

Então fica a dica: trazer um pedacinho de natureza para o seu ambiente é uma ótima idéia. 🌿

Jardim vertical auto irrigável: opções para todos os gostos

jardim vertical auto irrigável

Chegou a hora de escolher o local onde ficará o seu jardim vertical e você não tem certeza se seu local favorito é adequado? Não se preocupe, nós vamos te ajudar:

Escolhendo o tipo de jardim vertical auto irrigável

Definido o local, é hora de escolher o tipo de jardim vertical auto irrigável que irá comportar as suas plantas. Então, vamos conhecer as principais opções? Confira:

1- Jardim vertical auto irrigável automático

jardim vertical auto irrigável
Foto: EZTEC.

Essa opção é moderna, prática e especialmente interessante para quem passa longos períodos fora de casa, tem pouco tempo livre ou simplesmente não quer ter que se preocupar com a rega.

Confira alguns detalhes:

2- Jardim vertical auto irrigável manual

Essa é uma opção econômica e perfeita para quem tem algum tempo livre para executar o projeto e fazer a manutenção semanal dos vasos. Nesse tipo de projeto, usamos vasos que tem uma reserva de água (que deve ser preenchida manualmente sempre que secar) e um condutor de tecido que absorve e leva umidade para as raízes das plantas.

Você pode adquirir a estrutura e os vasos auto irrigáveis prontos, ou fazer você mesmo. Para fazer do seu jeito, você precisará do material para fazer a estrutura conforme desejar, garrafas pet e barbantes ou tecidos de algodão. Interessante, não é mesmo?

Veja como fazer:

jardim vertical auto irrigável

Não é fã de DIY ou quer algo mais elegante?

Bom, se você não tem muito tempo para montar seus próprios vasinhos auto irrigáveis ou se deseja fazer algo mais requintado do ponto de vista da decoração, também pode adquirir vasos auto irrigáveis prontos feitos de diferente materiais, desde os feitos de plástico e acrílico até aqueles de barro ou cimento! Que tal nos fazer uma visita?

Ah! E por falar em vasos, aproveite para ver nosso artigo sobre vasos de cimento. Clique aqui

**

E aí, gostou do nosso texto sobre os jardins verticais auto irrigáveis? Então, acompanhe a nossa floricultura no Instagram e também no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do mundo das plantas e da decoração.

Obrigada pela leitura e até logo! 🍃💧


Referências e datas de acesso:

1- Exame – Acesso em 29/07/2021.

2- Veja Saúde – Acesso em 29/07/2021.

3- Casa e Jardim –  Acesso em 29/07/2021.

Plantas exóticas de interior: conheça 5 espécies

Procurando plantas exóticas para a decoração do interior da sua casa ou escritório? Então fiquei com a gente até o final desse artigo, pois nós iremos mostrar:

Ficou curioso para descobrir todas essas informações? Então vem com a gente!

O que são plantas exóticas

É comum que as pessoas chamem de “plantas exóticas” aquelas espécies que se destacam por algum motivo: são muito raras ou diferentes, ou ainda tem alguma característica muito específica e única. Mas a verdade é que não é exatamente isso que define se uma planta é ou não exótica.

As plantas exóticas, na verdade, são espécies que foram deslocadas para fora de seu habitat natural pelo ser humano. Um exemplo de planta exótica que muitos podem pensar que seria um “planta comum”, é a samambaia americana.

Então qualquer planta estrangeira é exótica?

Não. Para ser uma planta exótica, ela precisa estar geograficamente distante de suas origens. Se uma planta nasce em uma fronteira sem interferência humana, por exemplo, ela não é exótica.

E por que chamam algumas delas de plantas exóticas invasoras?

Talvez você já tenha ouvido o termo “plantas exóticas invasoras” e imaginado que seriam plantas que invadiram determinada região sem a interferência do ser humano, mas isso não é verdade. Toda planta exótica necessariamente chegou a determinada região através do homem, seja propositalmente ou por acidente, como por sementes presas às roupas ou no interior das bagagens de viajantes, por exemplo.

Então toda planta exótica é uma planta exótica invasora?

Não. Algumas plantas exóticas se reproduzem de forma controlada pelo homem e sobrevivem sem interferir nas espécies nativas do local onde foram inseridas. Plantas exóticas invasoras são aquelas que se estabelecem na região e passam a se reproduzir e expandir consideravelmente, ameaçando as espécies nativas daquela região.

Infelizmente, algumas plantas exóticas invasoras podem diminuir consideravelmente outras espécies e até mesmo levá-las à extinção. 1

Plantas exóticas trazem algum benefício?

planta asa de morcego
Foto: Winterflor.

Já conseguimos entender que plantas exóticas podem ser prejudiciais para as espécies nativas em alguns casos. Mas será que elas sempre são uma ameaça?

A verdade é que nem toda planta exótica que se estabelece e se expande representa um risco às outras espécies. Então elas podem sim se estabelecer sem serem consideradas invasoras. É o caso de plantas exóticas que nos beneficiam ao servir de alimento, como a batata e o tomate, por exemplo.

Outro ponto é que algumas plantas exóticas servem para equilibrar o nosso ecossistema, sendo usadas para o reflorestamento. É o caso do eucalipto, que é originário da Austrália. Ele ajuda na preservação da Mata Atlântica e do Cerrado brasileiro, por exemplo. 2

 

E como as plantas exóticas de interior podem ajudar?

Se você está pensando em comprar uma planta exótica de interior e ficou com dúvidas sobre isso ser bom ou ruim para o local, saiba que não há motivos para preocupação. A maioria das plantas exóticas que são encontradas à venda são seguras. Mas é sempre bom pesquisar sobre a espécie antes, principalmente, para quem tem animais e crianças pequenas em casa. Só para garantir que não seja uma espécie venenosa se for acidentalmente ingerida, por exemplo.

E quanto aos benefícios que uma planta exótica de interior oferece, são basicamente, os mesmos benefícios que ter qualquer planta proporciona, ou seja, mais saúde e bem estar. Sem dúvidas, ter plantas dentro de casa ou do ambiente de trabalho colabora nesses pontos.

Isso porque, instintivamente, o contato com a natureza proporciona mais paz e tranquilidade. Além disso, cuidar das plantas comprovadamente reduz o estresse. Essa prática é recomendada por muitos profissionais de saúde para melhorar os sintomas da depressão e ansiedade, por exemplo.3

Já no campo da saúde física, as plantas colaboram principalmente para melhorar sintomas respiratórios. Elas são purificadores de ar naturais e colaboram também no controle da umidade do ambiente. Problemas como irritações nos olhos e dores de cabeça também podem ser reduzidos. Mas cuidado! Se você tem algum problema respiratório alérgico, como a rinite, é melhor apostar em plantas livres de pólen, que são aquelas que não florescem nem dão frutos.

5 espécies de plantas exóticas de interior

Agora vamos ao que mais interessa! Separamos espécies de plantas exóticas de interior para você arrasar na decoração. Confira:

 

1- Jiboia

plantas exóticas de interior
Foto: Winterflor.

Talvez você não saiba, mas a jiboia é uma planta exótica, pois é originária das Ilhas Salomão. Inclusive, nós escrevemos um texto completo sobre essa espécie. Clique no link para conferir.

 

2- Samambaia

plantas exóticas de interior
Foto: Pixabay.

Existem muitas espécies de samambaias. As samambaias que não têm origem brasileira, são de fato exóticas. Algumas delas, invasoras. Mas como nós estamos falando daquelas plantas exóticas que tem por objetivo a decoração interior, fique tranquilo e aposte nas samambaias sem medo!

 

3- Aralia

Foto: fazfacil.com.br

Outra planta muito bonita e que de fato faz o ambiente ficar muito mais rústico e confortável. As origens dessa planta são as ilhas do sul do Oceano Pacífico, e elas se parecem muito com o carvalho japonês.

 

4 – Véu de Noiva

plantas exóticas de interior
Foto: Winterflor.

Ela veio da América Central e se adaptou muito bem ao clima brasileiro. Ela é uma planta de sombra e não tolera frio intenso ou geadas, por isso é perfeita para os interiores.

 

5- Cróton Mammy

plantas exóticas de interior
Foto: Winterflor.

Se o que você quer é uma planta extravagante e que foge do comum, a Cróton Mammy é uma ótima opção! Suas origens são a Índia, Malásia e Ilhas do Pacífico.

**

Esse foi o nosso texto sobre as plantas exóticas de interior. Você gostou do conteúdo? Então acompanhe a Winterflor no Instagram e Facebook para ficar por dentro de tudo sobre o mundo das plantas.

Obrigada pela leitura e até a próxima!


Referências e data de acesso:

1- InfoEscola – Acesso em 27/06/2021.

2- Rede Globo – Acesso em 27/06/2021.

3- Super Interessante – Acesso em 27/06/2021.

O que é Urban Jungle e como por essa ideia em prática

Se você deseja saber o que é Urban Jungle, está no lugar certo! Neste artigo, abordaremos os seguintes tópicos sobre o tema:

Continue a leitura e confira! Você certamente não vai se arrepender.

O que é Urban Jungle

o que é urban jungle
Foto: Filya Indoor Garden.

Antes de tudo, vamos entender o que é Urban Jungle. Em tradução literal, o termo significa floresta urbana. Essas duas palavras representam bem o que é uma Urban Jungle. No entanto, apenas a tradução literal não explica o que é esse conceito de fato.

Ao pensar no termo “floresta urbana”, diversos tipos de locais podem vir à mente: parques no meio das grandes cidades, bosques, reservas ambientais… essas podem até ser, de fato, florestas urbanas. Mas, na verdade, não é disso que estamos falando quando usamos o termo Urban Jungle.

Então, respondendo a pergunta principal de forma simplificada: Urban Jungle é um tipo de decoração que busca trazer a natureza para os interiores, como casas, escritórios e apartamentos, por exemplo. E se engana quem pensa que é só sobre inserir plantas na decoração, apesar de elas serem de fato as protagonistas. O conceito de Urban Jungle vai muito além disso.

Faz parte desse estilo de decoração trazer os mais diversos elementos da natureza, e nisso entram infinitas possibilidades, como por exemplo: pedras, madeira, vasos de barro, pequenas fontes d’água, areia, etc. Além disso, faz parte do estilo Urban Jungle complementar esses elementos naturais com outras peças que remetam à natureza. Aí vale tudo: obras de arte, papéis de parede, estampas, cores e acabamento dos móveis… Super interessante, não é?

Como começar um projeto Urban Jungle

o que é urban jungle
Foto: Jornal DCI.

O primeiro passo você já deu, que é pesquisar sobre o tema! Essa é a melhor forma de encontrar ideias para começar a sua Urban Jungle. É claro, você sempre pode contratar um profissional, e nesse caso, o mais indicado é o paisagista. Mas se você é do tipo que gosta de pôr a mão na massa (ou na terra) confira a seguir as dicas que separamos para os aventureiros de plantão:

1- Escolhendo as plantas

Através das imagens que utilizamos para ilustrar o artigo, dá para perceber que as plantas são o que há de mais importante na Urban Jungle. Afinal, se a ideia é trazer o conceito de floresta para dentro de casa, naturalmente, elas são as grandes protagonistas.

A verdade é que, na Urban Jungle, quanto mais plantas melhor! Mas não é só escolher as espécies aleatoriamente, existem diversos fatores que devem ser levados em consideração.

Entenda o que você precisa saber antes de começar a investir nas plantas que vão compor a sua floresta urbana:

Luminosidade

As variadas espécies de plantas têm diferentes necessidades. Não adianta investir em muitas plantas para determinado cômodo se essas são plantas que precisam de diferentes intensidades de luminosidade, por exemplo. Por isso, o primeiro passo é definir por onde você vai começar.

O local é bem iluminado, ou é mais carente de luz? Se há bastante luz solar entrando no ambiente, ou se é uma varanda que recebe luz solar direta, vale a pena buscar por plantas que gostam de sol.

No entanto, o mais comum na Urban Jungle é justamente o contrário. Por ser um tipo de decoração interna, geralmente a melhor opção são as plantas que se desenvolvem bem com pouca luz. Então, antes de mais nada, leve a luminosidade do ambiente em consideração para começar a investir nas plantas.

Espécies

Vá com tudo nas folhagens: samambaias, jibóias, Costelas de Adão… São alguns dos muitos exemplos de plantas que se desenvolvem muito bem mesmo em ambientes com pouca luz. Combine as tonalidades e aposte nos contrastes que os diferentes tons de verde podem proporcionar.

Sempre que possível, inclua flores. Existem vários tipos de flores que amam os ambientes internos, sem luz solar direta. Alguns exemplos de flores desse tipo são os antúrios e alguns tipos de orquídeas. É claro, em uma floresta, o que prevalece é o verde, então não exagere! Use as flores apenas em alguns pontos da Urban Jungle, para colorir e dar contraste.

2- Envolvendo outros elementos

o que é urban jungle
Foto: grantec.

3- Prestando atenção no todo

Não adianta ir enchendo de elementos soltos e sem propósito, pois a ideia da Urban Jungle é ser um refúgio aconchegante, e não um caos. Certifique-se de que os elementos sejam dispostos de forma que eles conversem entre si, ou seja, façam sentido juntos. Se visualmente você não sente que está agradável, teste outras possibilidades e veja novamente as imagens que ilustram esse texto para ter ideias sobre como dispor as plantas de forma harmônica.

Lembre-se que os outros objetos e elementos do ambiente também precisam combinar com o todo, pois tudo, até os móveis e objetos de decoração fazem parte da Urban Jungle. Móveis de madeira, revestimentos de pedra, estampas de plantas… São de fato muitas as possibilidades para colocar tudo isso em prática.

Cuidados essenciais com a Urban Jungle

o que é urban jungle
Foto: pointer.

Talvez você tenha olhado essas fotos e ideias e pensado: mas e os bichos que isso pode atrair? E as aranhas, mosquitos e pragas em geral? Realmente, isso é algo que você precisa levar em consideração. É necessário manter uma boa manutenção e limpeza das plantas para evitar esse tipo de problema.

Além disso, na maioria dos casos você só vai garantir que a sua Urban Jungle não vire um criadouro de espécies indesejadas se você usar algum tipo de inseticida. Mas não se preocupe, desde que você busque a orientação de um profissional e siga as recomendações do fabricante, esse tipo de produto não deve fazer mal para a sua saúde, ou de outras pessoas e animais domésticos que vivam com você.

Vale lembrar que esse tipo de produto precisa ser mantido fora do alcance das crianças e dos animais domésticos, para evitar qualquer tipo de acidente.

Com tudo isso em mente, basta escolher os elementos que mais combinam com o seu estilo e criar a sua própria Urban Jungle 🌿

**

Se  você gostou do nosso artigo, acompanhe a gente também nas redes sociais Instagram e Facebook e deixe seu comentário sobre esse texto através dos nossos canais.

Muito obrigada pela leitura. Até logo! 🍃

Como cuidar das plantas no inverno: dicas simples e valiosas

Você acha que é difícil cuidar das plantas no inverno? De fato, as condições da estação mais fria do ano podem prejudicar e até mesmo arruinar diversas espécies.

As plantas externas certamente são as que mais sofrem, e pode ser um pouco mais difícil mantê-las saudáveis durante a estação. Na verdade, grande parte delas entra em um estado de dormência e “despertam” novamente na primavera. Infelizmente, algumas não sobrevivem sem abrigo. Apesar disso, se engana quem pensa que as plantas que ficam dentro de casa estão totalmente livres dos riscos oferecidos pelo frio.

Mas se essa é uma preocupação para você, muita calma nessa hora! Nós vamos trazer diversas dicas para proteger suas plantinhas das mudanças climáticas e proporcionar condições que permitam que elas enfrentem esse período e resistam.

Continue a leitura e confira!

Saiba o que esperar

Saber o que vem pela frente é importante para prevenir problemas: níveis mais baixos de luz, ar seco, dias mais curtos e temperaturas mais baixas, por exemplo, podem colocar a vida da sua amada plantinha em risco.

Agora, que tal falarmos um pouco sobre cada um desses aspectos?

Iluminação

como cuidar das plantas no inverno
Foto: Pixabay.

Antes de mais nada, tenha em mente que a intensidade da luz solar é muito menor durante o inverno. Não é novidade que todas as plantas precisam de luz para ficarem saudáveis, ainda que indiretamente. Então, considere mover as plantas que ficam mais afastadas das janelas para mais perto delas durante o inverno. Dessa forma, elas sofrerão menos com o impacto das alterações de incidência de luz.

Outra dica valiosa é investir em uma iluminação artificial que seja capaz de fornecer a luz necessária para as suas plantas. Existem lâmpadas desenvolvidas especialmente para esse fim, como as lâmpadas LED chamadas “full spectrum” ou “LED Grow”. Esse tipo de iluminação facilita a fotossíntese e são interessantes principalmente para plantas que florescem. Apesar disso, lâmpadas comuns como as fluorescentes, por exemplo, também podem ser eficientes.

Temperatura

como cuidar das plantas no inverno
Foto: Pixabay.

De fato, a maioria das plantas domésticas são tropicais e preferem temperaturas entre 18 °C e 25 °C durante o dia, e cerca de 10 °C mais frio à noite. Isso pode ser difícil de alcançar em cidades com invernos rigorosos, afinal, é bem comum que nesses locais sejam usados aquecedores, principalmente à noite.

Ter conforto é importante, mas lembre-se que as plantas também merecem condições que sejam favoráveis. Por isso, mantenha as plantas afastadas das fontes de calor, pois esses aparelhos podem ressecá-las severamente.

Por outro lado, os aquecedores podem ser aliados para simular condições mais favoráveis para as plantas, já que muitas não toleram temperaturas muito baixas. Mas lembre-se: é preciso mantê-los a uma distância segura. Além disso, preste bastante atenção nas regas e na umidade do ar. Mantenha bacias com água, toalhas molhadas ou até mesmo umidificadores de ar no ambiente para garantir que o ar não esteja ressecado, o que prejudica a saúde das plantas.

Umidade

como cuidar das plantas no inverno
Foto: Pixabay.

Já que esse aspecto é tão relevante, nada mais justo do que falar sobre ele com mais detalhes. Naturalmente, a umidade do ar é mais baixa durante o inverno, e como dissemos anteriormente, esse aspecto é agravado ainda mais com o uso dos aquecedores, lareiras, etc.

As plantas dão sinais: folhas com pontas ressecadas e marrons e aparecimento de pragas como os ácaros aranha (minúsculos aracnídeos marrons que atacam em grupo) são alguns dos exemplos que podemos dar.

Mas nem todo problema de umidade está relacionado à falta dela! Muitas vezes, na tentativa de fornecer umidade suficiente, regamos em excesso, o que também prejudica a planta. A maioria das espécies prefere que a rega seja feita apenas quando a terra está completamente seca. Para isso, basta colocar o dedo na terra e avaliar se ainda há umidade. Como a evaporação da água é menor no inverno, naturalmente, você precisará regar com menos frequência do que de costume.

Vale lembrar que nem toda planta precisa de rega apenas quando o solo está seco, então, sempre leve isso em consideração. Se não tem certeza se a espécie precisa de solo sempre úmido ou não, antes de mais nada, faça uma breve pesquisa para saber o que fazer.

Fertilização

como cuidar das plantas no inverno
Foto: Pixabay.

As plantas só devem ser fertilizadas no inverno em cidades com temperaturas não tão baixas. Para regiões mais frias, como o sul e sudeste, geralmente se interrompem as fertilizações.

É claro, isso não é uma regra absoluta. Sempre leve em consideração as necessidades de cada espécie e peça recomendações aos profissionais, ou pesquise antes de tomar qualquer decisão quanto a isso.

Mantenha as plantas limpas

Essa dica pode até parecer estranha, nós sabemos, mas ela é de fato muito relevante. Muitas pessoas esquecem completamente de tirar o pó que acaba se acumulando nas folhas, e esse fator pode tornar ainda mais difícil a absorção da iluminação, que já é mais escassa durante o inverno. Afinal, a sujeira que fica na superfície vai obstruir a passagem da luz.

Além disso, a higienização adequada ajuda a prevenir pragas e doenças. Mas como se limpa uma planta, afinal? Confira abaixo:

Folhas lisas

Foto: Pixabay.

Utilize guardanapos descartáveis ou panos limpos e que não soltem pelos para tirar o pó da parte de cima e de baixo das folhas. Faça isso com delicadeza e bastante cuidado, para não quebrar ou machucar as mesmas.

Se a espécie não for prejudicada ao receber alguma umidade nas folhas, você pode finalizar passando o pano limpo e levemente umedecido com água morna para uma limpeza mais eficiente. Mas lembre-se: algumas espécies não se beneficiam ao receber umidade diretamente nas folhas, então, leve isso em consideração antes de por essa dica em prática.

Folhas peludas

Foto: Pixabay.

Espécies que tem folhas com pelos (aveludadas) não devem ser molhadas, pois elas podem ficar manchadas. Além disso, o acúmulo de água pode fazer com que elas se tornem alvos fáceis para a proliferação de fungos, ou até mesmo, que apodreçam.

Use uma escovinha macia para tirar o pó, novamente, com delicadeza. Utilize também ar comprimido. Plantas cobertas por espinhos, como os cactos, por exemplo, também devem ser higienizadas com ar comprimido, de preferência. Apesar de parecer algo muito complexo e específico, é na verdade muito fácil encontrar esse tipo de produto à venda na internet, e o valor costuma ser acessível.

**

Este foi o nosso artigo sobre como cuidar das plantas no inverno. Você gostou? Então, nos acompanhe nas redes sociais Instagram e Facebook e fique por dentro de mais conteúdos como o que você acabou de ler.

Obrigada pela leitura, até a próxima! ❄️🌿

Como cuidar de um cacto? 5 dicas importantes

Não tem como negar que, de fato, a sessão de cactos de qualquer floricultura é um sucesso. Eles são pequenos, discretos, modernos e há um bom tempo eles são uma moda nas casas e apartamentos – dos pequenos aos grandes. Mas você sabe como cuidar de um cacto? Será que eles são mesmo tão fáceis de manter como parece?

Nosso tema de hoje é um apanhado de tudo que você precisa saber sobre esse tipo tão peculiar de suculenta. Esse é o seu momento de aprender um pouco mais sobre essa planta e ir além das ótimas fotos que eles proporcionam.

🌵

cacto-euphorbia
Cacto Euphorbia. Foto: Winterflor.

O que é um cacto?

O cacto é um tipo de planta que cresce muito em regiões secas. O crescimento dela vem desde o México, na América Central, até o começo da América do Sul.  Não é à toa que essa é uma planta que povoa várias regiões mais quentes aqui no país, como Norte e Nordeste.

Como elas crescem em regiões secas, as mais de 1.600 espécies de cacto têm esse corpo engrossado que acumula água por muitos períodos. Então é por isso que os cactos fazem parte da família das suculentas.

🌵 🌵

As regiões desérticas são cheias das espécies grandes de cacto, que podem chegar a quase dois metros de altura. Mais espinhosas do que os cactos menores, essas espécies acabaram se tornando um tipo de paisagem atraente e que ficou marcado na cultura em geral.

Porém, como os cactos tem raízes baixas e algumas espécies são bem miúdas, logo eles viraram um hit também na decoração. Hoje você encontra cactos em casas, apartamentos, quintais e até ambientes corporativos. Alguns decoradores mais ousados aproveitam, inclusive, da forma longa da espécie para formar cercas naturais.

Além disso, a imagem do cacto estampa almofadas, canecas, quadros, roupas e muito mais. Essa planta tem, de fato, uma legião de fãs.

cacto-euphorbia - tipos de cacto
Detalhe do cacto Euphorbia. Foto: Winterflor.

Tipos de cacto

Diante de quase duas mil espécies conhecidas, nós poderíamos ficar aqui por muitas linhas de texto só falando de cacto. Mas a nossa lista a seguir é, em resumo, das espécies ideias para você levar para o seu ambiente. Esses são alguns dos tipos de cactos mais marcantes e diferentes.

Tipos de cacto 1
Fotos: Safari Garden/Leroy Meril/Tua Casa.

Tipos de cacto 2
Fotos: Elo7/Pinterest/Mundo Naturarte.

Jardinagem - suculentas
Fotos: Cantinho verde/Pinterest/Solutudo.

Aqui no blog a gente tem um outro post cheio de dicas de decoração e espécies com cactos.

Jardim e decoração - suculentas
Foto: Maksim Goncharenok/Pexels.

Como cuidar de um cacto

Apesar de ser uma planta de baixa manutenção, o cacto ainda é um ser vivo e pede alguns cuidados. E é o que você vai aprender a seguir.

🌵

1. Cuidados com iluminação e calor

Se o cacto é uma planta do deserto, você poderia começar imaginando que ele precisa de muito sol, certo? Bem, não é bem assim. Os cactos aproveitam, claro, bastante a luz e o calor do sol e é assim que eles prosperam. Por isso, você vai colocá-lo no lugar mais quente da sua casa. Pode ser, então, perto de uma janela, ou mesmo na área mais aberta, se você tiver um quintal ou jardim. Inclusive, se você cultiva um cacto dentro de casa, leve eles para fora quando as temperaturas estiverem mais altas.

Os cactos que são criados do lado de fora crescem bem mais e com mais velocidade. Além disso, do lado de fora eles vão se beneficiar das chuvas ocasionais. Mas fique sempre de olho na aparência do cacto, que deve ser sempre verde. Se eles começarem a ficar marrons, significa que o sol está queimando e você deve dar um pouco de sombra.

E como eles são propícios para o clima seco, evite que eles fiquem expostos a correntes de ar. Ambiente de ar condicionado ou mesmo muito vendo pode fazer mal.

Durante o inverno, quando as temperaturas costumam ficar menores do que 15 graus aqui no Brasil, já dá pra voltar os cactos de vaso para dentro.

Como cuidar de um cacto - iluminação e sol
Foto: Miguel Á. Padriñán

2. Regue o cacto da maneira certa

Como suculentas, cactos podem, de fato, sobreviver algum tempo sem a rega. Porém, eles ainda precisam de alguma irrigação. Assim, o caule vai se manter alimentado.

A dica é verificar o solo a cada duas ou três semanas. Se os primeiros dois centímetros da terra estiver seca, significa que está na hora de regar. É nesse ponto que muita gente erra. Uns regam demais e fazem as raízes apodrecerem e outros simplesmente esquecem de dar de beber ao cacto. Em relação à rega, é melhor que o erro seja a falta de água, afinal, é mais fácil curar o cacto da desidratação do que do apodrecimento.

A média de tempo de necessidade de água do cacto é algo entre 10 e 14 dias. E o mais importante aqui é deixar a água dada secar totalmente para, então, você dar a próxima quantidade. Os cactos sem água ficam enrugados e magrinhos e a tendência é que eles engordem na próxima vez. Ou seja, vão ficar de novo com aquela aparência saudável e linda.

Durante o inverno, você vai notar que o seu cacto não cresce muito e isso é normal. O importante é que ele siga esses pequenos ciclos com a sua ajuda.

como regar um cacto
Foto: Gardening Know How.

3. O solo do cacto também precisa ser de qualidade

Engana-se quem pensa que o solo do cacto pode ser qualquer um. Se você quer saber como cuidar de um cacto, saiba que vai precisar de um bom fertilizante e de um solo bem drenado. Peça, então, na sua floricultura, os produtos que mais vão fazer o seu cacto ficar saudável.

Uma característica natural de um deserto é que o solo tem muita areia e pedra. E essa mistura precisa ser considerada na hora de envasar sua planta, por que é disso que o cacto gosta. Aliás, é isso, também, que ajuda a drenar a água que impede que a raiz apodreça.

Embora essa solução já seja de grande valia, você ainda precisa de um fertilizante adequado. Já existem, portanto, fertilizantes só para cactos. Mas você também pode comprar um que sirva para suculentas no geral.

A fertilização duas vezes por ano já é o suficiente. Faça isso no começo da primavera e, então, no começo do verão. Na hora de aplicar o fertilizante, regue o cacto antes e só depois disso aplique o produto. Do contrário, o fertilizante pode queimar a raiz do cacto.

como cuidar do solo de um cacto
Foto: Teona Swift – Pexels.

4. Manuseie o cacto com cuidado

Você se lembra das cenas dos desenhos animados em que o personagem cai no meio de cactos? Em cactos menores, que é o caso da maioria das pessoas, isso não é tão exagerado assim. Mas eles ainda podem machucar. Por isso, utilize luvas seguras na hora de pegar na plantinha.

Isso protege tanto você quanto o cacto. Se alguém pega sem proteção, corre o risco de, ao sentir um espinho, acabar deixando o cacto cair ou esmagá-lo.

Jardinagem - suculentas
Foto: Julia M Cameron – Pexels.

5. Cuidado com as pragas

Com todos essas formas de cuidar de um cacto, é bem difícil que o seu cacto sofra com as pragas. Mas se isso acontecer, você pode aplicar óleo de neem. O neem é um tipo de semente muito resistente à seca e que é utilizada na indústria farmacêutica. O óleo dela tem propriedades anti-inflamatórias e antifúngicas.

🌵 🌵 🌵

Gostou de aprender como cuidar de um cacto? Facinho, não é? Por aqui e lá nas nossas redes sociais sempre tem dicas pra você arrasar nos cuidados das suas plantas e flores. Então vem conhecer a gente lá no Facebook e no Instagram!

Até a próxima!

 

 

 

 

 

Como plantar temperinho verde na sua horta caseira

As plantas que você tem em casa podem ser muito mais do que só decorativas. Elas podem, também, fazer parte do que você coloca na sua mesa e serve para a família. Em tempos em que a saúde tem sido uma preocupação cada vez maior, existem muitos motivos para você trocar os temperos industrializados por coisas que venham direto da sua horta. Por isso, hoje vamos te dar as melhores dicas de como plantar temperinho verde em casa.

Temperinho, assim mesmo, no diminutivo, que é pra te lembrar que você não precisa ter grandes espaços para isso. Hoje em dia, até quem vive em apartamento já descobriu como cultivar coisas orgânicas sem ter um quintal. Sua comida certamente vai ganhar um sabor único e você pode virar a estrela da cozinha.

Segue com a gente para saber mais.

Que tipos de temperinhos verdes dá pra plantar em casa?

O mais legal de plantar temperinhos em casa é que você descobre que dá pra ter uma variedade enorme. Assim, você não precisa cozinhar tudo sempre com o mesmo sabor. Confira algumas espécies:

É muita coisa boa, não é? Então já prepare seus utensílios de plantio que até o final desse texto você vai saber tudo que precisa.

Temperos orgânicos = mais saúde na sua mesa

Só quem tem a própria horta e já descobriu como plantar temperinho verde e orgânico sabe que o sabor nem se compara com o do mercado. Ainda que eles também sejam naturais, a maioria deles vem de plantações que utilizam agrotóxicos ou outros produtos que, no processo, alteram o sabor das plantas.

Na sua horta, você tem o controle e não terá prejuízos reais se alguma das plantas não crescer como deve. Os benefícios para a saúde – além de não ter produtos químicos na conservação – variam de cada espécie. Veremos uma por uma a seguir.

Manjericão

O manjericão é considerada uma planta antissocial. Por isso, se você tiver outras plantas por perto, deixe o potinho do manjericão um pouco mais afastado para que elas não sejam invadidas pelas raízes. O ideal é fazer como que ele fique a pelo menos 30 centímetros de distância das outras.

Para manter ele sempre verdinho, suculento, cheiroso e com muito sabor, tem que regar todos os dias e manter ele por 4 horas no sol.

Além disso, não tenha tanta pressa. Se você começar a plantar o manjericão hoje, a sua primeira colheita será só daqui a 2 meses. E não adianta deixar as folhas lá simplesmente crescendo. Então, sempre tire as folhas que já estiverem maiores, e as utilize na cozinha enquanto as outras crescem.

Orégano tempero plantar em casa
Orégano. Foto: Tudo Natural.

Orégano

O orégano, esse ingrediente tão aromático que deixa tudo com cheiro de pizza, também pode ir direto da fonte até a sua panela. E ele é o único tempero amigo do manjericão, pois ajuda afastar as pragas. Então você pode deixar um perto do outro.

Mas o orégano precisa de vários cuidados pra crescer forte e saudável. A planta alcança até 50 centímetros de altura no seu auge.

como-cultivar-pimenta
Pimentas. Foto: Blog TudoGostoso.

Pimentas

Independente de qual pimenta você escolha plantar aí na sua horta, em geral, os cuidados são os mesmos.

A melhor época para plantar as pimentas é sempre no inverno. Quando chegar o verão, elas vão estar muito bem desenvolvidas. Em segundo lugar, é ideal deixar elas perto da janela ou no quintal, afinal, as pimentas precisam de ainda mais sol, podendo ficar até seis horas por dia.

Entretanto, elas não pedem tanta água como orégano e manjericão. Regue as suas pimentas apenas 3 vezes por semana. A primeira colheita acontece, em média, 90 dias depois do plantio.

E sempre é bom lembrar que cachorros e crianças podem acabar ficando curiosos demais com as belas pimentinhas. Portanto, para a segurança deles, deixe o potinho fora de alcance.

🌱 🌱

Está gostando de aprender como plantar temperinho verde em casa? Então continuae por aqui que temos mais dicas!

como plantar coentro temperinho verde
Coentro. Foto: Viva Decora.

Coentro

O coentro vai super bem em diversas receitas e vale muito a pena manter sua própria muda. Aqui vão as dicas para o plantio:

Já vai pensando aí o tanto de receita boa que você vai fazer com  seu coentro fresquinho, colhido na hora!

Hortelã - como plantar em vasos
Hortelã. Foto: Horta em Casa.

Hortelã

Não é comum plantar hortelã como um temperinho verde, e sim como erva para chás. Mas ela pode ser plantada junto de temperos, sem ônus para a espécie. O crescimento dela é mais simples e nem precisa do sol, basta estar num lugar bem iluminado.

Esta também é uma planta para ter atenção. Não deixe as folhas mortas lá por muito tempo, pois elas sufocam as folhas novas, que deixam de crescer como deveriam.

O momento certo de colher a hortelã é antes que ela comece a florescer. E na hora de escolher, prefira os galhos mais altos e que estiverem mais verdes.

Hummm, já podemos sentir o cheirinho das folhas daqui!

Como plantar temperinho em casa - Ssalsa-salsinha
Salsa. Foto: Cultura Mix.

Salsa

Gosta de salsa e quer plantar como um temperinho verde? Siga as dicas a seguir:

vasos-grandes-com-alecrim
Alecrim. Foto: Blog da Plantei.

Alecrim

Outro antissocial dessa turma é o alecrim. Mas não se preocupe com isso, é só deixar ele com um pouco mais de espaço. E falando em espaço, o vaso dele precisa ser maior do que o normal. Escolha um com pelo menos 20 centímetros de diâmetro e 30 centímetros de altura.

No quesito água, o alecrim é que nem gato. Por isso, a rega pode ser só duas vezes na semana. Se você fizer mais do que isso, o alecrim pode morrer.

Quanto à colheita, existe, de fato, uma boa diferença entre o plantio por semente ou por muda. Se foi por muda, em 10 dias você já tem seu próprio alecrim na cozinha. Se foi por semente, só dali a 90 dias.

Além disso, lembre-se de tirar só a ponta dos ramos do alecrim.

como plantar temperinho verde em vasos - cebolinha
Cebolinha. Foto: canal Cantinho de Casa.

Cebolinha

Um dos temperos mais marcantes da culinária é, sem dúvida, a cebolinha. E ela é tão democrática que se dá bem em diferentes climas e você nem precisa fazer muito pra que ela cresça.

O solo, claro, tem que ser de qualidade. Por isso, escolha um bom fertilizante. Em vez de sol direto, pode optar só por uma boa iluminação. E nem precisa de muito espaço, também.

Em 70 dias, já tem uma boa quantidade de cebolinha para os seus pratos mais especiais.

horta caseira como plantar temperinho verde - tomilho
Tomilho. Foto: Meu Lar, Minha Paz.

Tomilho

O maior segredo do plantio do tomilho está na drenagem da água. Por isso, você vai precisar de mais do que terra. Dentro do vaso, intercale camadas de terra, areia e seixos. Assim, ele não vai precisar ser regado tantas vezes, só quando seus dedos sentirem que o solo já ficou seco.

Assim que as folhas começarem a aparecer, você já pode começar a colhê-las. E, assim como o orégano, que é utilizado seco, tire os ramos e deixe eles secando por uns dias até que fique no ponto para as receitas.

Como plantar temperinho verde

Aprendeu como plantar temperinhos verdes e orgânicos? Agora, mãos à obra.

Como você viu até aqui, ter seus próprios temperos em casa é, de fato, bem simples. As principais ferramentas pra que elas cresçam e apareçam são utensílios como:

Aqui na Winterflor você pode encontrar kits como esse completos que já vêm, inclusive, com algumas sementes.

🌱 🌱

Gostou das nossas dicas? Lá nas nossas redes sociais tem mais! É só seguir a gente no Instagram e no Facebook.

Consulta: Minha Casa.

 

 

 

Decoração com samambaias para casamento: ideias para surpreender seus convidados

Você já considerou investir em uma decoração com samambaias para o seu casamento? Elas são lindas, versáteis e têm tudo para tornar o seu dia especial ainda mais belo!

Continue a leitura e confira tudo sobre as samambaias e, é claro, várias ideias para incrementar a cerimônia com elas!

Foto do destaque: Mari Alves

Tipos de samambaia

Existem diversos tipos de samambaia! Elas vêm em diferentes tamanhos e suas folhagens variam em formato e tons. Algumas são mais selvagens e rústicas, enquanto outras são mais delicadas.

Independente do tipo de cerimônia, certamente existem espécies que vão combinar com o ambiente. Então, vamos conferir os principais tipos de samambaia e onde colocar cada uma delas? Confira:

 

Samambaia Argentina

Existem pelo menos três variedades desse tipo de samambaia. O tamanho das plantas varia entre 25 e 30 centímetros e as folhas  são levemente crespas e ralas.

Elas combinam principalmente com cerimônias ao ar livre, mas não existe regra quando o assunto é samambaia! Elas se adaptam e ficam bem diferentes ambientes.

decoração com samambaias para casamento
Foto: totalconstrucao.com.br

Samambaia Americana

Certamente, esse é um dos tipos de samambaia mais comuns e versáteis. As folhas longas e rígidas favorecem o uso criativo da planta em tiaras, buquês e arranjos variados.

decoração com samambaias para casamento
Foto: floragoishi.com.br

Renda Francesa

Também muito popular, a renda francesa tem folhagens cheias e delicadas. Essa espécie não suporta luz solar direta, então, aposte nessa samambaia em cerimônias internas, salões de festa e locais com sombra. Por ser compacta, funciona muito bem na decoração de pequenas cerimônias.

decoração com samambaia para casamentos
Foto: AdriMartinho

Samambaia de metro

Se você quer uma planta extravagante e que vai chamar a atenção, então a samambaia de metro é certeira! Também conhecida como chorona, essa samambaia tem origem brasileira e as folhagens são brilhantes e pendentes, podendo atingir mais de dois metros de altura!
Já pensou em ter uma dessas decorando o altar? Vai ficar maravilhoso!

samambaia de metro
Foto: Raizes & Folhas

Renda Portuguesa

Mais um exemplo de samambaia com folhas plumosas e delicadas. A planta tem uma média de 20 a 40 centímetros. Apesar de suas folhas caírem no inverno, se permanecer recebendo água e nutrientes, a planta volta a brotar na próxima estação.

Depois do casamento, ela pode virar uma lembrança viva do seu dia especial na sala de casa.

Foto: folhasefolhagens.com.br

Samambaia Holandesa

Uma linda planta ornamental que cresce com facilidade e certamente vai embelezar qualquer ambiente. A samambaia holandesa tem folhas brilhantes, grandes e pendentes que ficam muito bem com outros enfeitas, como velas, por exemplo.

Foto: Idaria Moreno

Mini samambaia

Pequena, delicada e belíssima, a mini samambaia tem folhas crespas e de um verde muito claro. Certamente são ideais para decorar mesas e pequenos espaços, além disso, basta adicionar um belo cachepot e a mini samambaia se transforma numa linda lembrança para os convidados levarem.

decoração com samambaia para casamento
Foto: samambaiaslindas.com

Mais ideias com samambaia para casamento

Até aqui você já tem várias ideias para fazer decoração com samambaias para casamento. Mas as nossas dicas a seguir vão, de fato, surpreender seus convidados pela ousadia no uso da samambaia. Então, vamos prosseguir:

Coroas

Muitas noivas vêm trocando o tradicional véu por uma coroa, com efeito de deixar um ar mais contemporâneo. No entanto, poucas noivas imaginam que as folhas de samambaia ficam lindas no acessório! A planta dá um toque muito especial e pode, inclusive, ser a protagonista da coroa da noiva.

Ornamentar a coroa de folhas de samambaia com pequenas flores certamente vai dar um toque simples, mas sofisticado ao seu penteado.

decoração com samambaias para casamento
Foto: Alicia Lewin

Buquê de noiva

Eles nunca saem de moda e são indispensáveis para a maioria das noivas. As folhas de samambaia podem ser as protagonistas do buquê ou servirem apenas como complemento para as flores e outras folhagens. O importante é que, acima de tudo, a noiva fique satisfeita com a combinação que escolher.

decoração com samambaias para casamento
Fotos: weddingomania/ mccune-photography.com

Arranjos aéreos

Não é raro encontrar as samambaias suspensas, afinal, as plantas são perfeitas para esse tipo de decoração. Na cerimônia, você pode apostar em diferentes maneiras de usar as plantas, seja em guirlandas com folhagens e galhos secos, ou deixando as plantas penduradas sobre as mesas dos convidados. Por fim, use a criatividade para colocar as plantas pendentes em diferentes ambientes da festa, vai ficar lindo e aconchegante!

decoração com samambaias para casamento
Fotos: designmag.fr / insideweddings.com

No chão

E se o corredor por onde a noiva irá entrar for todo decorado com samambaias? A ideia certamente é ousada, mas pode mostrar que você tem bom gosto! Vale incrementar o local que marca a passagem com velas, flores e quaisquer que sejam os adornos que agradem o casal.

Fotos: casaefesta.com

Centros de mesa

Anteriormente, citamos as mini samambaias como ótimas opções para a decoração das mesas, certo? Mas não são só elas que ficam bem para essa finalidade. Também podemos usar as folhas das samambaias maiores nos centros de mesas, combinados ou não com outros elementos, como garrafas de vidro, velas, pedras e flores.

decoração com samambaias para casamento
Foto: casaefesta.com

Em pequenos detalhes

Há ainda a possibilidade encantadora de adicionar as folhas de samambaia nos pequenos detalhes do casamento, como marcadores de lugar, lembrancinhas e mural de recados, por exemplo. Fica realmente muito delicado e bonito!

decoração com samambaias para casamento
Fotos: mykaleidoscope.ru / prettybow.gr

Bolos decorados

E por fim, mas não menos importante, podemos ter samambaias presentes até mesmo no bolo do casamento! Vai combinar muito com coberturas claras, de preferência as brancas. Parece uma ideia maluca? Veja como fica realmente incrível:

decoração com samambaias para casamento
Fotos: The Knot / Martha Stewart

E então, gostou das ideias de decoração com samambaias para casamento? Nós esperamos que elas tenham te inspirado. Vem contar nas nossas redes sociais se você usaria essa planta na sua festa! Então, antes de ir embora, já salva nosso Instagram e nosso Facebook. Assim você fica por dentro dos nossos conteúdos relacionados ao mundo das plantas e das flores.

Até a próxima! 🌿

 

 

Girassóis: principais tipos e como cultivar

Vamos conhecer os principais tipos de girassóis e ainda descobrir como cultivá-los com sucesso? Continue a leitura e confira, eles certamente irão alegrar o seu dia 🌻

tipos de girassóis
Foto: Pixabay

Tipos de girassóis

Diferente do que muitos podem pensar, não existe apenas um tipo de girassol. Eles são encontrados em pelo menos 70 espécies, que se dividem em três grupos principais: Girassóis Altos, Girassóis Anões e Girassóis Coloridos. Então, vamos conhecer um pouco mais sobre cada um desses grupos e suas principais variedades:

 

Girassóis Altos

Eles podem atingir vários metros de altura, sendo que o maior já registrado chegou a 8,03 metros! É claro, não é tão comum que eles cheguem a alturas tão elevadas. Só algumas espécies bastante raras e que recebam cuidados muito específicos chegarão perto disso.

Os pássaros amam os Girassóis Altos, pois suas sementes são, para eles, um banquete farto. Se você pretende cultiva-los pelas sementes, será necessário instalar uma rede com pelo 5 metros de altura para proteger a plantação dos passarinhos.

Vamos conhecer alguns dos tipos de Girassóis Altos?

1- Girassol Arranha-Céu

Se tiverem o espaço e os cuidados necessários, suas alturas variam entre 3 metros a 4 metros e meio! Suas pétalas não ficam atrás, medindo em torno de 30 a 35 centímetros.

Foto: Pixabay

2- Girassol Gigante Americano

São muito populares e podem ultrapassar os 4 metros e meio. Os caules são grossos e firmes, preparados para sustentar as flores pesadas de, aproximadamente, 30 centímetros.

Foto: Pixabay

3- Girassol Mamute Russo

Este gigante e lindo girassol russo mede em torno de 3 metros e meio. Se você pretende atrair polinizadores como abelhas e borboletas, certamente esta é a melhor espécie do grupo!

Foto: gadenia.net

Girassóis Anões

Essas belezinhas são perfeitas para os jardins menores! A maioria dos Girassóis Anões não chegam a medir nem 1 metro. É possível plantá-los bem próximos uns aos outros, são de fácil cultivo e perfeitos para vasos e arranjos. Conheça 3 espécies de Girassóis Anões:

1- Girassol Sundance Kid

É um dos primeiros Girassóis Anões a serem catalogados. Medem de 30 a 60 centímetros e suas pétalas podem ter tons de amarelo e/ou vermelho.

Fotos: Getty Images, Sunsational Sunflowers.

2- Girassol Pacino

Estes pequenos e lindíssimos girassóis medem entre 30 e 40 centímetros. Produzem várias flores e botões no mesmo caule e, além disso, ficam incríveis em vasos e arranjos de verão.

tipos de girassóis
Foto: veseys.com

3- Girassol Sunny Smile

São os mais comuns entre os Girassóis Anões. Os girassóis Sunny Smile medem entre 15 e 45 centímetros e são extremamente fáceis de cuidar. Os talos são resistentes e os mini girassóis se parecem muito com uma versão em miniatura dos girassóis Gigantes Americanos.

Fotos: takii.com

Girassóis Coloridos

É verdade que, ao ouvir a palavra “girassol”, logo imaginamos a flor clássica: amarela, com o núcleo escuro cheio de sementes. Mas isso não é regra! Apesar da maior parte das variedades ter essas características, existem também variações com belos tons que de amarelo, não tem nada – ou pelo menos, quase nada. Confira:

1- Strawberry Blonde

Suas flores desbotam do branco creme para um rosa avermelhado impressionante! Suas flores são muito bonitas e os pés chegam a atingir 1,5 metros.

Foto: gardenia.net

2- Girassol Moulin Rouge

As belíssimas pétalas cor de vinho são super resistentes ao sol, ou seja, não desbotam com facilidade. São muito procuradas, e os pés costumam atingir 1,2 metros.

Foto: amazon.ca

3- Girassol Earthwalker

Com tons terrosos que variam entre marrons, vermelhos e dourados, esse girassol certamente vai chamar a atenção de quem passa! Normalmente atingem de 1,5 a 2,75 metros. São uma opção de fácil cultivo, e tem tudo a ver com a transição do seu jardim de verão para o de outono.

tipos de girassóis
Foto: higgledygarden.com

Como cultivar girassóis

Agora que você já conheceu diversos tipos diferentes da planta, é hora de aprender a cultivar seus próprios girassóis. Em geral, os cuidados com as diferentes espécies não são tão diferentes entre si. É claro, vão existir algumas variações nos cuidados, principalmente levando em consideração o tamanho da espécie escolhida. Mas não se preocupe, as dicas a seguir serão sobre o cultivo de girassóis em geral! Vamos lá?

 

Escolhendo o local

Primeiramente, é necessário ter em mente que o local precisa receber o máximo de luz solar possível. Serão necessárias de 6 a oito horas de luz solar direta, no mínimo. Isso porque, como o próprio nome diz, os girassóis amam o sol e giram para acompanhar a sua trajetória.

Tentar cuidar de um girassol dentro de casa, certamente não vai funcionar. A melhor opção é sempre cultivar em ambiente um externo, então, escolha o local com mais espaço livre do seu quintal ou jardim.

 

Preparando o solo

Antes de mais nada, você precisa preparar o solo pra receber as sementes, que deve ser fértil e bem drenado. Um solo bem drenado é aquele em que a água se infiltra com facilidade. Além disso, o solo não pode ser muito compacto, ou seja, a terra deve ser mais fofa.

Se você não tem certeza se o solo é fértil, misture com a terra um pouco de adubo de compostagem ou até mesmo adubos que sejam indicados para a plantas com floração. Sempre siga as instruções do fabricante.

 

Plantando a semente

Abra um buraco na terra de, aproximadamente, 2,5 cm de profundidade. Coloque as sementes dentro, cubra novamente com terra e regue. Mantenha o solo úmido durante todo o período de germinação, que ocorre entre 7 e 10 dias, então, após o surgimento da primeiras folhas, regue pelo menos 1 vez por dia, mas sem exageros! Água demais prejudica a planta.

Se for plantar mais de um pé, lembre-se de manter uma distância mínima de 25 a 50 centímetros de cada lado entre as plantas, assim elas têm espaço suficiente para se desenvolverem bem.

Foto: jardinierparesseux.com

Isso é tudo que você precisa saber para cultivar lindos girassóis! Eles florescem dentro de dois a três meses após a germinação, dependendo da espécie.

E lembre-se: se você quer flores bonitas por mais tampo e pretende aproveitar as sementes para novos plantios ou para outro fins, será preciso proteger a sua plantação com uma rede que permita que a luz do sol e o oxigênio entrem, mas que também impeça que os pássaros ataquem a planta em busca de alimento! Instale a rede levando em consideração o tamanho médio da planta, deixando sempre sobrar de meio a um metro para cima e para os lados.

Mas se você não se importa com as sementes e prefere atrair os passarinhos para o seu jardim, deixe-os ao ar livre mesmo. Certamente ficarão lindos!

Gostou do texto? Então acompanhe a Winterflor no Facebook e também no Instagram para ficar por dentro das novidades do mundo das plantas 😉

Até a próxima! 🍃

WhatsApp
Precisa de Ajuda?