Jardim - Winterflor Floricultura

Flores de verão para jardim: as 7 melhores para a estação mais quente do ano

A estação mais quente do ano já está se aproximando! Isso porque dia 21 de dezembro é o início do verão no Brasil. Quem não gosta do calor da estação e de toda alegria, bom humor e relaxamento que ela traz? Além disso, o verão é sinônimo de muitas cores. Por isso, nada melhor do que as flores de verão para jardim para concentrar todas essas características em um só lugar: sua casa.  

Apesar de a primavera ser considerada a estação das flores, também existem muitas plantas que florescem no verão. Durante essa época do ano, seu jardim pode ficar mais fresco e colorido, proporcionando ótimos momentos de descontração e relaxamento.  

Você já pensou em ter várias flores de verão no jardim e aproveitar esse espaço para ler um livro, escutar uma música, admirar a paisagem ou receber suas visitas? Seria uma delícia, não é mesmo? Então, vamos conhecer as melhores plantas para a estação mais quente do ano

1. Zínia

As zínias são as plantas ideais para o clima quente e seco do verão. Elas não suportam baixas temperaturas e, principalmente, as geadas. Para seu bom desenvolvimento e crescimento, elas necessitam de luz solar direta por algumas horas diárias.  

A zínia possui uma floração abundante e muita colorida. As cores, normalmente, são em tons quentes que, certamente, darão mais calor visual à estação mais quente do ano. São perfeitas para o jardim de verão, você não acha? 

zínias no jardim de verão
Foto: Blog-Flores.pt

2. Gardênia

Famosa pelo seu aroma marcante, a gardênia floresce durante a primavera e o verão. Seu perfume doce e intenso já inspirou até um filme e música de nomes iguais: “Perfume de Gardênia”.  

A planta se adapta melhor a uma temperatura amena e gosta de climas com bastante umidade, típico do verão brasileiro, com sol e muita chuva. Para se desenvolver, ela precisa de muita luminosidade, de preferência sol pleno, mas não suporta bem o sol direto nos horários mais quentes (das 11h às 17h).  

flores de verão - gardênia
Foto: Blog-Flores.pt

3. Suculentas

Queridinhas da vez, as suculentas são plantas de sol. Fáceis de manutenção e resistentes a condições climáticas extremas, elas são as plantas tendências para decorar um espaço exterior ou interior. Se você quiser começar a decorar o seu jardim com suculentas, aqui embaixo tem lindas opções vendidas pela Winter. Basta clicar em “Comprar”.

Por armazenar água nas suas folhas, troncos e raízes, as suculentas são capazes de sobreviver com pouca água. Por outro lado, elas precisam de muita luz – a quantidade de horas de luz direta vai depender da espécie. Mas, no geral, as que têm folhas mais azuladas, suportam menos o sol forte. Você consegue encontrar suculentas com cores e formas de folhas diversificadas, facilmente adaptáveis a muitos tipos de jardins e climas, criando excelentes combinações com outras plantas.  

plantas da estação - suculentas
Foto: Blog-Flores.pt

4. Dálias

As dálias são lindas e fazem muito sucesso. É uma ótima opção de flor de verão para jardim, já que são fáceis de cultivar e adoram climas quentes. Um dos cuidados fundamentais para o desenvolvimento e crescimento da dália é a luz solar.  

Entretanto, elas devem ser protegidas dos ventos e não toleram o frio extremo. Assim como outras flores, as dálias florescem na primavera, mas, é no verão que atingem o seu melhor! Como resultado, apresentam uma grande variedade de cores, que adicionam vida aos vasos e jardins. Super a cara do verão, você não acha? 

Dálias coloridas no verão
Foto: Plantei.com.br

5. Equinácea ou flor-de-cone

A flor-de-cone traz todo o charme do verão para o seu jardim, já que apresenta uma grande variedade de cores, como o rosa, laranja, amarelo e branco. Essas opções fazem com que a decoração do jardim fique deslumbrante. Ela deve ser cultivada em local bem ensolarado e em solos bem drenáveis, pois não sobrevive a encharcamentos.  

Por outro lado, sombras à tarde propiciam cor mais intensa nas flores. Para você se apaixonar ainda mais, as flores atraem, principalmente, borboletas, e os frutos são consumidos por pássaros. O que você acha do seu jardim sendo visitado por borboletas todos os dias? Um sonho, não?  

Flor-de-cone para o verão
Foto: Plantei.com.br

6. Girassol

O girassol não poderia faltar nesta lista de flores de verão para jardim, não é mesmo? Como o próprio nome sugere, a planta “gira para o sol”, isto é, as flores acompanham o movimento do sol. Para cultivá-lo, é necessário um local bem ensolarado com, no mínimo, 4 horas de sol direto, todos os dias. 

As flores lindas e grandiosas demonstram a imponência e porte majestoso desta planta. Seu nome científico “Helianthus annus” significa “flor do sol”, traduzindo perfeitamente a beleza do girassol. Cenário perfeito para um dia lindo de verão, você não acha?  

Girassol flor de verão
Foto: Green Savers

Que tal começar a decoração do seu jardim com girassóis? A Winter tem algumas opções incríveis para você.

7- Margaridas

Por último, mas não menos importante, as margaridas – clássicas flores de verão. A margarida encanta por sua simplicidade e resistência. Ela se adapta facilmente a diferentes ambientes e é uma das principais escolhas para arranjos de vasos para decoração interna e buquês. Mas dão um charme todo especial aos jardins.  

Para cultivá-la, prefira locais bem iluminados e com sol. Você também deve regá-las regularmente, mas sem exagerar. Para favorecer o florescimento contínuo das margaridas, fique de olho nas podas. As flores murchas devem ser retiradas rapidamente para que outras brotem. Um jardim cheio de margaridas é inspiração em um dia de calor, não é mesmo?  

Margaridas no jardim de verão
Foto: Plantei.com.br

Dicas para cuidar das suas flores de verão para jardim

Com tantas flores lindas e facilmente cultivadas no verão, que tal aproveitar a chegada do calor para deixar o seu jardim mais bonito? Ou então, para dar início ao seu próprio jardim?  

Se você deseja começar o próprio canteiro nessa época, é importante anotar as dicas de cuidados com as plantas no verão. Afinal, as plantas são seres vivos, assim como nós. E, se nós precisamos de atenção redobrada com as altas temperaturas e o ar seco da estação mais quente do ano, elas também necessitam. Seguindo as orientações, você pode mantê-las sempre bonitas e saudáveis.  

Sombra e água fresca não fazem mal a ninguém

Evite regar as plantas ao meio-dia, sob o sol forte, pois a terra fica muito aquecida e a água irá evaporar antes mesmo de chegar às raízes. E não exponha diretamente as plantas ao sol durante muito tempo, porque elas podem sofrer queimaduras. A exceção é para aquelas que necessitam dessa exposição para o seu desenvolvimento.  

O ideal é regar as plantas uma vez a cada dois dias, no início da manhã ou no fim da tarde, já que o excesso de água também pode ser prejudicial. Para que as suas plantas possam curtir o sol do verão sem correr riscos, coloque-as numa zona fresca, que alterne períodos de sol e sombra.  

Faça a poda constante e retire flores e folhas secas 

A frequência correta do corte de ramos e folhas secas é muito importante, e não apenas para manter o jardim sempre bonito. Plantas ornamentais devem receber poda constante para que todos os nutrientes por elas absorvidos sejam utilizados na produção de novas folhas e flores, favorecendo o seu crescimento.  

Com o calor, é ainda mais importante ficar atento em recolher folhas e flores secas que caem na base de vasos e floreiras. É que durante os dias mais quentes, elas abafam o solo e dificultam a circulação do ar pela terra.  

Foto: Voz do Campo

Não dê espaço para as pragas 

A umidade das chuvas de verão faz com que as plantinhas fiquem deslumbrantes durante a estação. Mas, por outro lado, ela também contribui para que as pragas se fortaleçam nessa época. Por isso, você deve eliminar as ervas daninhas da terra próxima às plantas e se atentar aos parasitas e fungos que se desenvolvem no caule.  

Para uma efetividade maior no controle de pragas, você pode acrescentar fertilizante ou produtos específicos para pragas e parasitas nos seus vasos ou jardim.  Aqui embaixo, você tem opções de fertilizantes vendidos pela Winter, para adquiri-los basta clicar em “Comprar”.

Vamos recapitular as principais dicas para cuidar do seu jardim de verão? 

Espero que esse post tenha te inspirado a começar a cultivar o seu próprio jardim, ou então, a tornar o seu jardim ainda mais bonito para o próximo verão. Se você decidir dar início à jardinagem, que tal mandar fotos pra gente lá no nosso Facebook ou no Instagram? Vamos adorar receber e compartilhar com todos os nossos seguidores.

Fertilizantes para plantas: tudo que você precisa saber!

Você lembra como foi a sua primeira experiência cuidando de plantas? Ela foi de cara um sucesso ou levemente desastrosa? Para muitas pessoas, o que, inicialmente, parece algo fácil, logo parece ficar complicado. Afinal, com o tempo descobrimos que terra, água e sol não são as únicas coisas que fazem uma planta crescer bonita e saudável. Por isso, hoje a nossa conversa é sobre fertilizantes para plantas. Eles podem auxiliar no que está fora do nosso alcance.

Saiba, em seguida, o o que você vai encontrar aqui:

E muito mais! 🌻

Foto: Elementar.

O que são fertilizantes para plantas e flores?

Quando estão na natureza, as plantas e as flores vivem um processo natural de alimentação. Todos os nutrientes que elas precisam para sobreviver vão sendo constantemente repostos no solo. Eles vêm, principalmente, da decomposição de outras plantas de seres vivos que habitem o ecossistema. Assim, na natureza, as plantas não precisam de fertilizantes.

No entanto, muitos de nós temos a cultura de cultivar em vasos. E nesse tipo de espaço o ciclo de nutrição é bem mais limitado. Não ocorre como na natureza. Contudo, isso não quer dizer que o plantio em vasos é prejudicial. As nossas queridas plantas só precisam de uma ajudinha para crescer saudável.

É aí que entram os fertilizantes, que repõem no solo tudo que a planta precisa de minerais e vitaminas. E a fertilização precisa ser controlada, de acordo com cada espécie, e feita com o produto correto. Como veremos adiante, fertilizante não é tudo igual.

Foto: Bob Vila.

Fertilizante é agrotóxico? NÃO! Entenda as diferenças

Algumas pessoas ainda não aderiram aos fertilizantes para plantas por conta de alguns pensamentos equivocados. Frequentemente, alguns confundem com agrotóxicos, que realmente fazem mal. Por isso, é importante entender qual é a diferença entre as duas coisas.

A única semelhança é que ambos são produtos sintéticos. Porém, o agrotóxico é pensado para matar pragas que podem atingir uma plantação. Por outro lado, os fertilizantes são semelhantes a quando tomamos suplementos vitamínicos, ou seja, faz bem para as suas plantas!

De quais nutrientes uma planta precisa?

Cada planta tem, sem dúvida, suas particularidades. No entanto, três nutrientes são bons para todas: o fósforo, o potássio e o nitrogênio. Um bom fertilizante vai repor no solo essas três coisas. Entenda melhor a função de cada um:

Foto: Winterflor.

Quais são os tipos de fertilizantes para plantas?

Assim como nós dissemos anteriormente, os fertilizantes para plantas não são todos iguais. Eles têm diferentes dosagens de nutrientes bem como costumam vir indicando na embalagem para quais espécies eles são indicados. Algumas marcas, por exemplo, costumam ter números como 4-18-08 ou 10-10-10, que nada mais são indicativos da proporção de nutrientes.

Quanto aos formatos, no entanto, eles atendem a diferentes formas de aplicação:

Mas atenção! Sabe aquela máxima de que tudo em excesso faz mal? De fato, isso também vale para a nutrição das plantas. Tenha atenção às instruções da embalagem.

E antes de escolher e de aplicar um fertilizante, converse com um especialista da nossa loja pelo WhatsApp. Assim, você vai ter certeza da escolha e pegar dicas personalizadas de acordo com a sua necessidade. É só clicar aqui.

Foto: Winterflor.

Quando começar a aplicar o fertilizante?

Nas primeiras semanas desde o plantio, tudo que a planta precisa é de água e sol. Porém, entre a terceira e a quarta semana é o período ideal para começar a aplicar a reposição de nutrientes. Contudo, se a sua planta ainda é um bebê, as primeiras doses devem ser pequenas. O correto é ir aumentando gradativamente a quantidade de fertilizantes até que você chegue na quantidade máxima indicada na embalalgem.

Ao longo da vida da planta, você pode precisar de fertilizantes diferentes, que atendam, de fato, às quantidades ideais de cada nutriente. Entenda melhor como isso funciona a seguir:

Uma lista de cuidados na aplicação dos fertilizantes para plantas

Por fim, preparamos uma listinha que resume bem no que você deve ter atenção na hora de escolher e de aplicar os fertilizantes para plantas e flores.

🌼 🌼 🌼

Bora ter um jardim lindo e saudável?

Gostou das nossas dicas sobre o uso de fertilizantes? Agora é só aplicar esses conhecimentos na sua casa, no seu jardim… enfim, em todas as plantas que você quer ver crescer do seu lado.

Aqui no blog da Winter toda semana tem dicas incríveis de jardinagem, de paisagismo e muito mais. E sabe onde mais você pode ter conteúdo assim? Lá nas nossas redes sociais, te esperamos no nosso Instagram e no nosso Facebook. Se você ama jardinagem, cola com a gente!

Flor de cerejeira: significado, tipos e como plantar

Existem poucas flores que sejam tão simbólicas, belas e ricas em diversidade quanto as flores de cerejeira. Essas árvores em flor parecem um sonho, e se você quer descobrir qual o seu significado, os tipos e como ter uma no seu jardim ou até mesmo em casa, continue a leitura! Nós vamos te contar tudo sobre essas surpreendentes flores.

🌸 Flor de cerejeira: significado

Se você é o tipo de pessoa que busca pelo significado por trás de cada uma das belezas da vida, saiba que a Flor de Cerejeira não poderia ser mais simbólica. Essas plantas representam o feminino, o amor, a felicidade, a renovação e a esperança.

A floração da cerejeira marca a passagem do inverno para a primavera. E o que essas flores têm de belas, têm também de passageiras. Isso porque cada uma delas dura no máximo 3 dias antes de caírem ao chão. Também por essa razão, elas representam a fragilidade da vida e a importância de desfrutar de cada momento.

🌸 Flor de cerejeira: conheça 7 tipos

Existem tantos tipos dessa surpreendente flor, que seria impossível falar de todas elas em um único texto. Uma curiosidade sobre essas árvores é que elas existem até mesmo em portes pequenos e miniaturas (bonsais), então, é possível ter uma árvore de cerejeira dentro de casa, desde que em local com bastante luz natural. Incrível, não é mesmo? Algumas dão frutos comestíveis, outras frutos não comestíveis e existem ainda aquelas que não dão nenhum fruto. São centenas de variedades, então, vamos conhecer as principais delas? Confira:

1- Yoshino

Essa árvore produz flores brancas únicas, criando um efeito de bola de algodão. Exalam um agradável aroma de amêndoas e são de fato uma das variedades mais populares encontradas nessa cor.

Foto: National Park Service.

2- Kwanzan

Batizada com o nome de uma montanha japonesa, floresce cerca de duas semanas depois da espécie Yoshino. Suas flores duplas e cor-de-rosa se assemelham a belos, delicados e certamente perfumados cravos.

Foto: National Park Service.

3- Akebono

Com um rosa claro delicado e encantador, a Cerejeira Akebono é na verdade uma mutação da Cerejeira Yoshino. Daí sua semelhança com tal. E não é só o formato das flores e folhas e o porte das árvores que são iguais. Naturalmente, elas florescem na mesma época.

Foto: National Park Service.

4- Afterglow

Aí está mais uma flor que se assemelha a Yoshino. A principal diferença dela em comparação às suas duas “irmãs”, de fato, é a coloração das pétalas, que são bem mais intensas e não desbotam.

Foto: Arbor Day Foundation.

5- Flor de Outono

Apesar de ter esse nome, essa árvore floresce o ano todo, indo no caminho oposto da maioria das cerejeiras. É uma planta rara e que dá flores especialmente delicadas.

Foto: National Park Service.

6- Chorosa

Ao contrário de outras cerejeiras, as flores da Cerejeira Chorosa podem variar do branco ao rosa escuro e possuem flores simples ou duplas. Ver essa majestosa árvore em flor é espetacular e certamente irá te tirar o fôlego! As flores pendentes dão um aspecto extremamente belo, impressionante e elegante. Basta ver a imagem abaixo para perceber que ela é, de fato, um dos tipos de cerejeiras mais bonitas que existem.

Foto: Zekkei Japan

7- Fugenzo

Essa linda espécie floresce em ramos de flores cor-de-rosa intenso que desbotam formando uma variedade de tons que são certamente encantadores. 

Foto: anasidra.

🌸 Flor de cerejeira: como plantar

Chegou a parte favorita dos jardineiros de plantão! Vamos falar sobre o cultivo da flor de cerejeira, essa planta tão incrível e cheia de significado. Confira as dicas que separamos para você:

**

Esse foi o nosso texto sobre o significado, os tipos e o cultivo da árvore de cerejeira. Você gostou do conteúdo? Então nos siga no Instagram e também no Facebook para não perder nenhum conteúdo relacionado ao mundo das plantas.

E que tal aproveitar a sua visita ao nosso site para presentear alguém que você ama? Não espere as datas comemorativas para demonstrar o seu afeto: surpreenda hoje mesmo

Obrigada pela leitura! Até a próxima.

Vasos para plantas: isso é tudo que você precisa saber

Quando vamos escolher vasos para plantas, é comum que a gente escolha muito influenciado pela beleza do produto. Afinal, geralmente as plantas em vasos ficam fora da natureza e viram parte da decoração.

Mas é muito importante pensar em como esse vaso vai influenciar a saúde da planta. Se ele não for o correto, a planta pode morrer, apesar de todos os outros cuidados. Por isso, hoje vamos te explicar tudo que você precisa saber na hora de comprar um vasinho para a sua companhia verde.

Muda de Clusia em vaso de cerâmica – peça a planta aqui pelo WhatsAPP ou pelo site.

Um guia rápido sobre vasos para plantas

A primeira característica importante de um vaso ideal para plantas é ter furos no fundo. E por incrível que pareça, alguns não vem com isso de fábrica. Cada planta precisa de uma quantidade de água. Umas mais e outras menos. Mas nenhuma planta pode ficar encharcada. Isso pode, de fato, apodrecer as raízes. Garantir a presença dos furos é permitir que a planta tenha um sistema de drenagem simples.

Outro fator igualmente importante é o tamanho. As medidas de profundidade e largura precisam ser proporcionais ao tamanho da planta. Assim, o vaso garante espaço para o crescimento das raízes. Porém, você não precisa de um vaso enorme logo no início, caso a sua planta for de porte maior. Basta trocá-lo conforme a planta for crescendo, assim como os nossos pais foram trocando as nossas camas.

Vasos de plantas diversos.
Foto: ABC Garden.

Os materiais também fazem uma diferença enorme. O ideal é que eles sejam de materiais como barro, cerâmica, madeira (de qualidade), fibras de coco ou cimento, que têm uma permeabilidade boa. Mas tudo depende, também, de onde esse vaso vai ficar. É importante lembrar que, como as plantas estão fora da natureza, a disposição e a forma das coisas também precisam ser adequados à sua vida. Se há risco de queda, por exemplo, prefira um vaso mais leve.

Em especial, o barro e a cerâmica funcionam melhor para plantas que precisam consumir muita água. Entretanto, vasos para plantas feitos de metal ou de plástico podem funcionar apenas temporariamente, já que eles não são tão resistentes à ação do tempo e podem superaquecer no sol. Mesmo assim, eles são uma opção mais barata diante de uma emergência.

Tipos de vasos para plantas

Se você é daqueles que tem várias plantas em casa que moram em vasos, provavelmente vai gostar das nossas dicas a seguir. Cada tipo de vaso funciona melhor em casa situação, como veremos a seguir.

Vaso de cimento

O vaso de cimento tem suas particularidades. Primeiro, é que ele é bem, mas bem pesado. Então, se você precisa de resistência para aguentar vento, chuva e peso da terra, ele é o ideal. Porém, ele deve ficar sempre em locais mais baixos ou que não apresentem nenhum risco de queda.

Além disso, o vaso de cimento costuma ter um interior menor, devido à grossura do material. Assim, na hora da compra, escolha um tamanho maior do que a planta necessita.

Este aqui é um dos vasos de cimento que você encontra na nossa loja. Peça pelo WhatsApp.

Vasos de barro

Querido de muitos amantes da jardinagem, o vaso de barro é resistente, porém mais leve que o cimento. Além de serem discretos na paisagem e de terem uma boa drenagem.

Porém, antes de colocar a planta diretamente no vaso, aqui vai uma dica: deixe o vaso de molho por algumas horas para que ele absorva um pouco de água e não fique totalmente seco na hora de receber a planta e nem roube a água do solo.

Vasos de barro.

Vasos de madeira

O vaso de madeira é muito mais decorativo do que utilitário. Em geral, ele é usado como cachepot, ou seja, aquela cobertura utilizada para esconder o vaso de verdade. Na nossa loja, inclusive, você encontra vários modelos – para todos os estilos!

Cachepot
Tulipa no cachepot que você só encontra aqui na Winter. Peça pelo WhatsApp ou pelo site.

Vasos de vidro

O vaso de vidro é lindo, mas depende de alguns cuidados extras, afinal, ele é muito delicado e nada permeável. Contudo, ele é ótimo para plantas aquáticas e é do tipo que ajuda a manter a temperatura mais amena.

O vidro deve ser manuseado com muito cuidado e você vai precisar higienizá-lo com frequência. Na decoração, ele é minimalista e elegante.

Vasinhos de vidro.
Aqui na Winter você pode pedir a Zamioculca com o vaso de vidro. Fale com a gente no WhatsApp ou peça pelo site.

Vasos de polietileno

O polietileno é um tipo de plástico bastante leve e resistente. Pela sua versatilidade, tem sido muito utilizado na jardinagem, principalmente para quem tem animais ou crianças circulando pela casa.

O legal é que o vaso de polietileno é uma opção sustentável. É um material normalmente barato, pode ser reciclado e não agride a planta quimicamente falando. E mais: é fácil de limpar e nele não há possibilidade de proliferação de fungos.

Vasos de plantas: polietilêno
Vaso de polietileno – foto: Pinterest.

Vasos de fibra de coco

Para quem, infelizmente, não tem muito tempo para cuidar das plantas e lembrar de coisas simples como a rega periódica, o vaso de fibra de coco é uma excelente opção. O material funciona como uma espécie de esponja, absorvendo bastante água e permitindo que você possa, vez ou outra, esquecer de regar.

E não para por aí. Os benefícios da fibra de coco são muitos:

Vasos para plantas: fibra de coco.
Vaso de fibra de coco – foto: Pinterest.

Vasos de cerâmica

Assim como o vidro, a cerâmica é um material que a ajuda a planta se manter refrescada. Isto porque os vasos de cerâmica retém a umidade que é ótima para a planta também não ressecar.

Apesar de uma eventual crosta verde que pode aparecer, os vasos de cerâmica limpam bem fácil apenas com uma escova.

Você também pode encontrar os vasos de cerâmica em versões conhecidas como vasos vietnamitas, que são um pouco mais caro, esmaltados, mas ideais para plantar árvores frutíferas.

Vasos para plantas: cerâmica.
Olha só que presença a planta Ficus Lyrata que vem acompanhada com vaso de cerâmica! Peça pelo WhatsApp ou pelo site.

Vasos para plantas: qual é o seu?

E você? Já sabe qual desses vasos é o melhor para a sua planta? Opções não faltam, não é? E seja para vasos ou para plantas, você encontra tudo na nossa loja. Lembrando, também, que a Winter está nas principais redes sociais, Facebook e Instagram, e a nossa comunidade está cada vez maior! Só falta você!

Jardinagem em casa: conheça 11 benefícios para a saúde

Praticar jardinagem em casa é uma tarefa certamente prazerosa. Por isso, é o hobby preferido de muita gente. Mas cada pessoa tem seus motivos para embarcar no universo das flores e nenhum jardim é igual ao outro. Foi por isso que, pensando em quem quer levar para casa um pouco da natureza aliada à saúde, preparamos para hoje um artigo especial.

Em tempos onde passamos muito tempo interagindo com máquinas, a saúde em geral tem perdas significativas pela falta de contato com a natureza. Ou por não termos tempo e interesse, ou por estarmos mesmo privados vivendo em ambientes pouco estimulantes e naturais.

Por isso, nós vamos te contar quais são os 11 principais benefícios para a saúde que podem vir do exercício da jardinagem. Não é sobre substituir os tratamentos médicos, eles ainda são muito importantes, independente do que você tenha. A prática de cultivar um jardim te ajuda a prevenir muitos problemas e a se reconectar com quem você é.

Tá curioso para saber quais são esses benefícios? Então acompanhe com a gente na leitura!

saúde plantas jardinagem

1 – Praticar jardinagem em casa reduz o risco de derrame

Uma pesquisa publicada pela American Heart Association, que estuda problemas cardiovasculares, trouxe uma perspectiva muito interessante. Eles listaram a jardinagem como uma das atividades que pode reduzir o risco de alguém ter derrame. O que surpreende é que a jardinagem ganhou destaque ao lado de atividades mais esportivas como natação, corrida, entre outras.

2 – Cuidar do jardim ajuda a queimar calorias

A intensidade da jardinagem como exercício é considerada entre moderada e alta. Segundo dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, uma pessoa chega a queimar 330 calorias durante 1 hora de jardinagem. E, para isso, nem precisa ser um serviço pesado. Basta, então, 1 hora de jardinagem leve ou mesmo trabalho no quintal. Isto é mais do que levantar pesos pelo mesmo período de tempo, acredita? Pois é!

Se você quiser colocar a jardinagem na sua rotina semanal, o recomendado é de 30 a 45 minutos no dia, fazendo de 3 a 5 vezes na semana. Aproveite a boa oferta de ferramentas de jardim e espécies de plantas disponíveis para dar um trato no seu quintal e transformá-lo no espaço dos sonhos. Tudo isso enquanto cuida da sua saúde!

E na hora de comprar flores e plantas, que tal dar uma olhadinha nos produtos e ideias da nossa loja? Além do site, você ainda pode falar com a gente pelo WhatsApp e e-mail que estão no final da página!

jardinagem casa

3 – Auxilia na prevenção de doenças fatais

Se jardinagem pode ter utilidade para manter ou diminuir o peso, consequentemente ela pode reduzir o risco de doenças fatais, como as cardíacas. Do ponto de vista da jardinagem como atividade física, os benefícios são principalmente prevenir e controlar a hipertensão. Institutos internacionais como o The National Heart e o Blood Institute já listaram a jardinagem como auxiliar no combate a esta doença.

kit-temperos-terra-pa-e-fertilizante-2

Falando em saúde, que tal plantar seus próprios temperos? Compre o kit no site ou clique aqui e peça pelo WhatsApp.

4 – Ajuda a impedir a osteoporose

A osteoporose é uma doença dos ossos que pode ser muito limitante, principalmente na terceira idade. A jardinagem em casa, mesmo sendo uma atividade mais tranquila, tem movimentos suficientes para manter o corpo ativo.

Enquanto cuida do jardim, na verdade nosso corpo está cavando, plantando, agachando para remover pedras e ervas daninhas. Tudo isto exige força e alongamento, fazendo com que ossos e músculos continuem saudáveis.

Além disso, esse tempo ao ar livre ajuda o corpo a absorver mais vitamina D, que é essencial para os ossos e vem, principalmente, do sol.

Espécie: Syngonium Butterfly. Gostou? Peça pelo site ou pelo WhatsApp.

5 – Jardinagem em casa pode ser o fim do estresse

Cada um faz uma coisa para desestressar. Mas se você ainda não descobriu o que te deixa leve, que tal experimentar a jardinagem? Ela pode ser tão ou mais eficaz que outras formas de lazer.

Um estudo da Holanda exibido no canal de CNN fez o seguinte experimento: colocou dois grupos de alunos para fazer atividades estressantes. Em seguida, para relaxar, o primeiro grupo foi fazer 30 minutos de leitura dentro de casa. Enquanto isso, o segundo grupo foi fazer jardinagem.

O grupo do jardim relatou estar com humor melhor do que o grupo da leitura, assim como níveis mais baixos de cortisol, que é o hormônio do estresse.

Veja só como pode ser uma ótima ideia criar e cuidar de um jardim? Porém, se você é do time da leitura, pode aproveitar para decorar seu espaço de relaxamento com algumas flores, também!

6 – Cercar-se de flores faz muito bem para o bom humor

E falando de dispor flores no ambiente, saiba que isso ajuda bastante na saúde geral. Existem diversas pesquisas sobre o benefício de viver próximo das plantas, mas nós podemos citar a da Universidade Rutgers. A partir de testes, eles demostraram que as flores são moderadoras naturais do humor, impactando diretamente na felicidade.

A relação entre as flores e a felicidade é tão relevante que nós já falamos só sobre isso em uma artigo aqui do blog. Vale a pena conferir!

mulher jardim frutas

7 – Um jardim em casa pode ter efeitos psicológicos positivos

Um bom jardim também tem efeitos em quem nós somos. Viver esse espaço pode nos ajudar a nos reconectar com quem a gente é de fato. E, principalmente, é sobre o que estamos fazendo em relação ao planeta, que vem sendo tão castigado. Quando estamos em um jardim, temos oportunidade de focar na beleza e na pureza das coisas. Além disso, é possível experimentar mais admiração, mais gratidão e abundância.

8 – Estado de consciência

Quando um atleta pratica seu esporte e coloca todo seu corpo e mente naquela atividade, ele experimenta um estado alterado de consciência. Esta “zona” do pensamento humano é semelhante ao que muitos chamam de transcender espiritualmente. E é geralmente neste momento em que cada pessoa pode sentir que está fazendo o seu melhor.

Um jardim também é capaz de levar a esse estado mental. Principalmente se você for alguém que leva as plantas muito a sério e a jardinagem dá mais sentido à sua vida.

benefícios saúde jardim

9 – Jardinagem em casa pode ser uma questão de sobrevivência

Um jardim é um espaço propício para tudo que é cultivável na terra. Talvez o seu jardim seja apenas decorativo, mas muita gente já aproveita para plantar espécies com outras utilidades. Flores comestíveis, vegetais, temperos, ervas para chás e até frutas e legumes. E tudo isso plantado por você, sem possíveis toxinas utilizadas no agronegócio. Esta é uma forma totalmente sustentável de viver.

10 – Cavar melhora a imunidade

Então quer dizer que mexer na terra pode melhorar a saúde? Sim! E olha só que dado interessante.

Provavelmente você deve ter ouvido que é para deixar a criança pequena brincar na terra para aumentar os anticorpos, certo? Por um tempo, isso era apenas um conhecimento popular, até que um cientista provou que a teoria está certa.

Christopher Lowry, Ph.D. e professor da Universidade do Colorado, experimentou injetar uma bactéria inofensiva encontrada no solo em ratos. Então ele descobriu que isso aumenta a liberação e o metabolismo da serotonina nas partes do cérebro que fazem o controle da função cognitiva e do humor. Esse efeito é algo muito parecido com o que fazem, por exemplo, alguns antidepressivos.

Por isso, na sua jardinagem em casa ou em qualquer outro local, não tenha medo do contato com a terra.

peperomia-melancia-1 (1)

Olha que linda a Peperômia Melancia! Para ter no seu jardim, é só pedir no site ou pelo WhatsApp.

11 – Um jardim aumenta a empatia

O contato com um jardim pode, de fato, aumentar o nosso desejo de olhar para a situação do outro. O fato é que um jardim é uma coisa viva e, muitas vezes, incontrolável. Ao sentar em um jardim podemos começar a ver quanta vida existe além da nossa. Vemos plantas, insetos, pássaros… Isso reflete direto em como enxergamos uns aos outros. Passamos a ter mais empatia e proximidade.

🌼 🌵 🍁

Viu só como a jardinagem vai muito além de gostar de flores? São tantos benefícios que a conversa é inesgotável. Por isso, você está convidado a se juntar a nós nas nossas redes sociais para ficar por dentro de muito mais dicas! Estamos no Instagram e no Facebook, formando uma comunidade enorme de apaixonados por flores e plantas.

Até a próxima!

***

Este artigo foi livremente inspirado pelo texto original 13 reasons why gardening is good for your health, do blog Gardening Gone Wild.

Jardim vertical auto irrigável: tipos e como fazer

Foto: Estadão.

A falta de tempo não é mais desculpa para não cultivar plantas dentro e fora de casa! Com um jardim vertical auto irrigável, você poderá até mesmo viajar sem precisar se preocupar com a rega das plantas. Incrível, não é mesmo?

Existem diversas formas de colocar essa ideia em prática, e elas vão das mais simples, como fazer vasos auto irrigáveis com garrafa pet e barbante, até as mais complexas, que contam com sistemas automáticos completos que liberam a água nos vasos conforme são programados.

Ficou curioso? Então, continue a leitura para conferir os benefícios e tipos de jardim vertical auto irrigável. Você certamente irá sair daqui com muitas inspirações e ideias para montar o seu!

Benefícios do jardim vertical auto irrigável

Os jardins verticais são modernos, belíssimos e se encaixam em qualquer ambiente. Não importa se o intuito é decorar dentro ou fora de casa, nem mesmo se o espaço é grande ou pequeno, é sempre possível adaptar essa ideia de formas criativas. E se engana quem pensa que um jardim vertical auto irrigável é apenas sobre decoração: as plantas colaboram com a nossa saúde física, mental e com o bem-estar de quem as tem por perto.

Nesse sentido, possuir um sistema de auto irrigação eficiente torna esses benefícios mais alcançáveis para quem tem pouco tempo para cuidar das plantas. Saiba mais:

Como as plantas colaboram com saúde física

Foto: Namu.

A qualidade do ar melhora significativamente quando temos plantas nos ambientes, e isso é ótimo para nossa saúde em geral, principalmente a respiratória. 1

Ter um jardim auto irrigável é ainda mais benéfico pois isso irá garantir que o ar tenha mais umidade, e é claro que isso é maravilhoso, principalmente quando o ar está mais seco.

Além de colaborar com o controle de alergias como a rinite (mas lembre-se de optar por plantas que não soltam pólen nesses casos), existem ainda infinitas possibilidades: você pode cultivar plantas que exalam um cheiro agradável e relaxante no ambiente, plantas medicinais como chás calmantes ou energéticos ou ainda plantas que servem como alimento.

Como as plantas colaboram com a saúde mental e o bem-estar

Cultivar plantas tem se mostrado uma atividade que de fato auxilia pessoas com ansiedade e depressão a lidarem com seus sintomas. 2

A prática é recomendada por diversos terapeutas e médicos como aliada no tratamento desses pacientes. Mas é claro: isso não substitui de forma alguma o tratamento especializado com profissionais de saúde como psicólogos e psiquiatras.

E quando falamos em bem-estar, os resultados são incontestáveis. O contato com a natureza é incrivelmente benéfico e relaxante3

Então fica a dica: trazer um pedacinho de natureza para o seu ambiente é uma ótima idéia. 🌿

Jardim vertical auto irrigável: opções para todos os gostos

jardim vertical auto irrigável

Chegou a hora de escolher o local onde ficará o seu jardim vertical e você não tem certeza se seu local favorito é adequado? Não se preocupe, nós vamos te ajudar:

Escolhendo o tipo de jardim vertical auto irrigável

Definido o local, é hora de escolher o tipo de jardim vertical auto irrigável que irá comportar as suas plantas. Então, vamos conhecer as principais opções? Confira:

1- Jardim vertical auto irrigável automático

jardim vertical auto irrigável
Foto: EZTEC.

Essa opção é moderna, prática e especialmente interessante para quem passa longos períodos fora de casa, tem pouco tempo livre ou simplesmente não quer ter que se preocupar com a rega.

Confira alguns detalhes:

2- Jardim vertical auto irrigável manual

Essa é uma opção econômica e perfeita para quem tem algum tempo livre para executar o projeto e fazer a manutenção semanal dos vasos. Nesse tipo de projeto, usamos vasos que tem uma reserva de água (que deve ser preenchida manualmente sempre que secar) e um condutor de tecido que absorve e leva umidade para as raízes das plantas.

Você pode adquirir a estrutura e os vasos auto irrigáveis prontos, ou fazer você mesmo. Para fazer do seu jeito, você precisará do material para fazer a estrutura conforme desejar, garrafas pet e barbantes ou tecidos de algodão. Interessante, não é mesmo?

Veja como fazer:

jardim vertical auto irrigável

Não é fã de DIY ou quer algo mais elegante?

Bom, se você não tem muito tempo para montar seus próprios vasinhos auto irrigáveis ou se deseja fazer algo mais requintado do ponto de vista da decoração, também pode adquirir vasos auto irrigáveis prontos feitos de diferente materiais, desde os feitos de plástico e acrílico até aqueles de barro ou cimento! Que tal nos fazer uma visita?

Ah! E por falar em vasos, aproveite para ver nosso artigo sobre vasos de cimento. Clique aqui

**

E aí, gostou do nosso texto sobre os jardins verticais auto irrigáveis? Então, acompanhe a nossa floricultura no Instagram e também no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do mundo das plantas e da decoração.

Obrigada pela leitura e até logo! 🍃💧


Referências e datas de acesso:

1- Exame – Acesso em 29/07/2021.

2- Veja Saúde – Acesso em 29/07/2021.

3- Casa e Jardim –  Acesso em 29/07/2021.

Como cuidar de um cacto? 5 dicas importantes

Não tem como negar que, de fato, a sessão de cactos de qualquer floricultura é um sucesso. Eles são pequenos, discretos, modernos e há um bom tempo eles são uma moda nas casas e apartamentos – dos pequenos aos grandes. Mas você sabe como cuidar de um cacto? Será que eles são mesmo tão fáceis de manter como parece?

Nosso tema de hoje é um apanhado de tudo que você precisa saber sobre esse tipo tão peculiar de suculenta. Esse é o seu momento de aprender um pouco mais sobre essa planta e ir além das ótimas fotos que eles proporcionam.

🌵

cacto-euphorbia
Cacto Euphorbia. Foto: Winterflor.

O que é um cacto?

O cacto é um tipo de planta que cresce muito em regiões secas. O crescimento dela vem desde o México, na América Central, até o começo da América do Sul.  Não é à toa que essa é uma planta que povoa várias regiões mais quentes aqui no país, como Norte e Nordeste.

Como elas crescem em regiões secas, as mais de 1.600 espécies de cacto têm esse corpo engrossado que acumula água por muitos períodos. Então é por isso que os cactos fazem parte da família das suculentas.

🌵 🌵

As regiões desérticas são cheias das espécies grandes de cacto, que podem chegar a quase dois metros de altura. Mais espinhosas do que os cactos menores, essas espécies acabaram se tornando um tipo de paisagem atraente e que ficou marcado na cultura em geral.

Porém, como os cactos tem raízes baixas e algumas espécies são bem miúdas, logo eles viraram um hit também na decoração. Hoje você encontra cactos em casas, apartamentos, quintais e até ambientes corporativos. Alguns decoradores mais ousados aproveitam, inclusive, da forma longa da espécie para formar cercas naturais.

Além disso, a imagem do cacto estampa almofadas, canecas, quadros, roupas e muito mais. Essa planta tem, de fato, uma legião de fãs.

cacto-euphorbia - tipos de cacto
Detalhe do cacto Euphorbia. Foto: Winterflor.

Tipos de cacto

Diante de quase duas mil espécies conhecidas, nós poderíamos ficar aqui por muitas linhas de texto só falando de cacto. Mas a nossa lista a seguir é, em resumo, das espécies ideias para você levar para o seu ambiente. Esses são alguns dos tipos de cactos mais marcantes e diferentes.

Tipos de cacto 1
Fotos: Safari Garden/Leroy Meril/Tua Casa.

Tipos de cacto 2
Fotos: Elo7/Pinterest/Mundo Naturarte.

Jardinagem - suculentas
Fotos: Cantinho verde/Pinterest/Solutudo.

Aqui no blog a gente tem um outro post cheio de dicas de decoração e espécies com cactos.

Jardim e decoração - suculentas
Foto: Maksim Goncharenok/Pexels.

Como cuidar de um cacto

Apesar de ser uma planta de baixa manutenção, o cacto ainda é um ser vivo e pede alguns cuidados. E é o que você vai aprender a seguir.

🌵

1. Cuidados com iluminação e calor

Se o cacto é uma planta do deserto, você poderia começar imaginando que ele precisa de muito sol, certo? Bem, não é bem assim. Os cactos aproveitam, claro, bastante a luz e o calor do sol e é assim que eles prosperam. Por isso, você vai colocá-lo no lugar mais quente da sua casa. Pode ser, então, perto de uma janela, ou mesmo na área mais aberta, se você tiver um quintal ou jardim. Inclusive, se você cultiva um cacto dentro de casa, leve eles para fora quando as temperaturas estiverem mais altas.

Os cactos que são criados do lado de fora crescem bem mais e com mais velocidade. Além disso, do lado de fora eles vão se beneficiar das chuvas ocasionais. Mas fique sempre de olho na aparência do cacto, que deve ser sempre verde. Se eles começarem a ficar marrons, significa que o sol está queimando e você deve dar um pouco de sombra.

E como eles são propícios para o clima seco, evite que eles fiquem expostos a correntes de ar. Ambiente de ar condicionado ou mesmo muito vendo pode fazer mal.

Durante o inverno, quando as temperaturas costumam ficar menores do que 15 graus aqui no Brasil, já dá pra voltar os cactos de vaso para dentro.

Como cuidar de um cacto - iluminação e sol
Foto: Miguel Á. Padriñán

2. Regue o cacto da maneira certa

Como suculentas, cactos podem, de fato, sobreviver algum tempo sem a rega. Porém, eles ainda precisam de alguma irrigação. Assim, o caule vai se manter alimentado.

A dica é verificar o solo a cada duas ou três semanas. Se os primeiros dois centímetros da terra estiver seca, significa que está na hora de regar. É nesse ponto que muita gente erra. Uns regam demais e fazem as raízes apodrecerem e outros simplesmente esquecem de dar de beber ao cacto. Em relação à rega, é melhor que o erro seja a falta de água, afinal, é mais fácil curar o cacto da desidratação do que do apodrecimento.

A média de tempo de necessidade de água do cacto é algo entre 10 e 14 dias. E o mais importante aqui é deixar a água dada secar totalmente para, então, você dar a próxima quantidade. Os cactos sem água ficam enrugados e magrinhos e a tendência é que eles engordem na próxima vez. Ou seja, vão ficar de novo com aquela aparência saudável e linda.

Durante o inverno, você vai notar que o seu cacto não cresce muito e isso é normal. O importante é que ele siga esses pequenos ciclos com a sua ajuda.

como regar um cacto
Foto: Gardening Know How.

3. O solo do cacto também precisa ser de qualidade

Engana-se quem pensa que o solo do cacto pode ser qualquer um. Se você quer saber como cuidar de um cacto, saiba que vai precisar de um bom fertilizante e de um solo bem drenado. Peça, então, na sua floricultura, os produtos que mais vão fazer o seu cacto ficar saudável.

Uma característica natural de um deserto é que o solo tem muita areia e pedra. E essa mistura precisa ser considerada na hora de envasar sua planta, por que é disso que o cacto gosta. Aliás, é isso, também, que ajuda a drenar a água que impede que a raiz apodreça.

Embora essa solução já seja de grande valia, você ainda precisa de um fertilizante adequado. Já existem, portanto, fertilizantes só para cactos. Mas você também pode comprar um que sirva para suculentas no geral.

A fertilização duas vezes por ano já é o suficiente. Faça isso no começo da primavera e, então, no começo do verão. Na hora de aplicar o fertilizante, regue o cacto antes e só depois disso aplique o produto. Do contrário, o fertilizante pode queimar a raiz do cacto.

como cuidar do solo de um cacto
Foto: Teona Swift – Pexels.

4. Manuseie o cacto com cuidado

Você se lembra das cenas dos desenhos animados em que o personagem cai no meio de cactos? Em cactos menores, que é o caso da maioria das pessoas, isso não é tão exagerado assim. Mas eles ainda podem machucar. Por isso, utilize luvas seguras na hora de pegar na plantinha.

Isso protege tanto você quanto o cacto. Se alguém pega sem proteção, corre o risco de, ao sentir um espinho, acabar deixando o cacto cair ou esmagá-lo.

Jardinagem - suculentas
Foto: Julia M Cameron – Pexels.

5. Cuidado com as pragas

Com todos essas formas de cuidar de um cacto, é bem difícil que o seu cacto sofra com as pragas. Mas se isso acontecer, você pode aplicar óleo de neem. O neem é um tipo de semente muito resistente à seca e que é utilizada na indústria farmacêutica. O óleo dela tem propriedades anti-inflamatórias e antifúngicas.

🌵 🌵 🌵

Gostou de aprender como cuidar de um cacto? Facinho, não é? Por aqui e lá nas nossas redes sociais sempre tem dicas pra você arrasar nos cuidados das suas plantas e flores. Então vem conhecer a gente lá no Facebook e no Instagram!

Até a próxima!

 

 

 

 

 

Flores de outono e inverno para jardim: 6 espécies para as estações frias

Muita coisa além das roupas que a gente veste muda durante as estações mais frias do ano. O seu jardim também pode se adaptar e ganhar um frescor de novidade. Por isso, hoje vamos te dar algumas 6 dicas de flores de outono e inverno para jardim.

A partir das nossas dicas, seguindo os cuidados de cada espécie, você vai ver que seu jardim, seja ele pequeno ou grande, vai ganhar beleza, arte e frescor. Mesmo que, nesse período, você não passe tanto tempo do lado de fora, um novo espetáculo vai surgir quando olhar pela janela.

🌸 🌸 🌸

Quais são as espécies ideais de flores de outono e inverno?

No período que vai de março até o começo de setembro, os dias ficam mais frios e secos. Isso, de fato, tem um impacto sobre o cultivo de flores. Aquelas espécies cresceram saudáveis no verão, talvez não se adaptem ao outono e ao inverno. Conheça, a seguir, quais são algumas das melhores flores de outono e inverno para jardim.

Flores de outono e inverno - amor-perfeito
Amor-perfeito – Foto: Dignity Memorial.

1 – Amor-perfeito

Essa florzinha simpática chamada de amor-perfeito, ou também viola tricolor, é super resistente ao inverno. Enquanto muitas flores e plantas simplesmente morrem depois de uma geada, essa espécie é capaz de resistir as temperaturas mais extremas. Talvez isso não seja tanto um problema nas regiões mais quentes do Brasil. Mas os apaixonados por flores que vivem mais ao sul do país, certamente podem investir na amor-perfeito.

Sobretudo, o que mais chama a atenção dessa flor é a delicadeza. Como ela atinge, no máximo, 15 centímetros de altura, essa não é uma flor que vai criar super ambientes. Porém, ela é perfeita para fazer um charme nos detalhes. Além disso, a amor-perfeito é encontrada em cores que têm destaque pela sua força e beleza, assim como vermelho, amarelo, roxo e azul.

Amor-perfeito
Foto: Pinterest.

E sabe o que mais deixa essa flor especial? Algumas pessoas cultivam para comer. Ainda que comer flores não sejam um hábito de muitas pessoas, certamente os pratos ganham uma beleza extra.

Camélias - flores de outono e inverno para jardim
Camélias – Fotos: Almost Eden.

2 – Camélia

As camélias são um tipo de flor que florescem o ano todo. Mas é no inverno que as camélias vão ganhar um charme todo especial que vai alegrar o jardim e surpreender quem olha. Além de ela ficar mais saudável nos dias frios, durante o outono e o inverno as pétalas das camélias têm mais chances de nascerem com duas cores ao mesmo tempo. O que deixa ela com esse aspecto marmorizado que é praticamente uma obra de arte da natureza.

Mas aqui vai uma dica de ouro: as camélias precisam ser regadas duas vezes na semana. Durante o inverno, em que o tempo é mais seco, não espere pela chuva. Crie na sua rotina o hábito de regá-las. Além disso, fale com a sua floricultura preferida e peça dicas de um bom composto orgânico para nutrir o solo onde você vai plantá-las.

Ciclames - flores de inverno
Ciclames – Foto: Winterflor.

3 – Ciclame

Outras flores de outono e inverno para jardim que vale a pena cultivar são as ciclames. Como elas são originárias dos países mediterrâneos, que tem um inverno bem frio, elas são muito resistentes às condições mais extremas. As ciclames dão um tom romântico para qualquer jardim, afinal, você encontra elas na floricultura em tons de rosa e vermelho.

Só que, bem diferente das camélias, você não pode regá-las demais. Quando você for fazer a rega, coloque uma quantidade moderada direto no solo, e não sobre as flores. Você não deve deixar de regá-la, mas água demais pode matar as ciclames bem rápido.

Ciclame rosa
Ciclames – Foto: Green Me

Outro ponto importante é que elas não devem ficar diretamente sob o sol. Encontre um cantinho de sombra no seu jardim ou cultive ela dentro de casa.

Por fim, não esqueça de tirar os caules das folhas mortas. Além de manter a saúde da flor, elas vão ter sempre uma aparência bela.

Cravos coloridos
Cravos – Foto: GDia.

4 – Cravo

Se tem uma flor que, visualmente, tem tudo a ver com o outono e o inverno são os cravos. Essa espécie tem uma aparência naturalmente rústica, que combina com as decorações mais intimistas das estações frias.

Como são estações mais secas, os cravos têm no outono e no inverno o clima ideal. Essa é uma flor que não deve ficar úmida demais. Contudo, nada de solo seco seco, também!

O cravo também se destaca pelo cheiro, que se espalha facilmente no ambiente. Quando passar aquela brisa gostosa no jardim, o aroma dos cravos vão surgir como uma boa surpresa. E dentro de casa podem ser que eles se destaquem até demais, o que pode incomodar algumas pessoas. Porém, o cravo é, inegavelmente, um ponto alto na decoração de qualquer ambiente.

Flores de outono e inverno: gardênias
Gardênias – Foto: Southern Living Plants.

5 – Gardênia

Poucas flores são tão luminosas e elegantes quanto as gardênias. Elas são de origem asiática, ou seja, elas são muito acostumadas aos invernos rigorosos. Por isso elas são uma aposta certeira como flores de outono e inverno para jardim. E não só para jardim, afinal, elas dão uma leveza aos ambientes internos, também.

Na hora de comprar a sua muda de gardênia, é importante prestar atenção na cor das folhas. Quanto mais escuras elas forem, mais resistentes elas vão ser. Assim, você pode ter certeza que elas vão durar facilmente durante os meses de cobertor e chocolate quente.

Árvore de cerejeiras
Cerejeiras – Foto: Bem Paraná.

6 – Cerejeira

Nossa última dica são as cerejeiras. O florescimento dessa flor é entre julho e agosto, aqui no Brasil, ou seja, final do inverno. Isso acaba fazendo uma transição belíssima para a primavera. Porém, essa é uma espécie que só cresce em climas frios. Em lugares mais tropicais, como norte e nordeste do Brasil, a árvore de cerejeira não vinga.

As cerejeiras têm essa coisa pomposa. Dentro da época do florescimento, ficam apenas as flores. E fora de época, só se veem as folhas. Ou seja, durante o ano todo, a cerejeira embeleza o espaço.

Cerejeiras em Curitiba
Cerejeiras em Curitiba – Foto: Gazeta do Povo.

Várias cidades pelo mundo, como Kyoto (Japão), Washinton DC (Estados Unidos) e Amsterdã (Holanda), têm festivais anuais dedicados à apreciação dessas árvores, na época de florescimento. Inclusive, aqui no Brasil, algumas cidades ficam completamente diferentes durante o auge das cerejeiras. Assim como aqui em Curitiba, no Paraná. Na internet, jorram fotos de como as ruas da capital ficam irresistíveis a um passeio a pé.

Ter uma cerejeira é, claro, um investimento de longo prazo, afinal, é uma árvore e demora a crescer. Porém, mesmo nos seus menores tamanhos, as cerejeiras já florescem. Mas essa é uma espécie que não deve ser podada, afinal, isso não é saudável para as flores.

🌸 🌸 🌸

E você? Pretende plantar flores de outono e inverno no seu jardim esse ano? Existem várias outras espécies e formas de cultivo. E sabe onde você pode encontrar dicas imperdíveis sobre isso? Lá no nosso Instagram e no nosso Facebook. Estamos te esperando por lá para bater um papo e saber como tem sido suas experiências na jardinagem.

Até a próxima!

 

9 ideias para jardim pequeno e simples (e muito bonito!)

Hoje em dia, quem mora numa casa com quintal, pode se considerar sortudo. Mas a existência do quintal nem sempre significa mais espaço. Porém, muita gente tem essa preocupação em fazer desse lugarzinho o mais bonito possível. É por isso que a gente hoje trouxe algumas ideias para fazer um jardim pequeno e simples, mas sem perder no frescor e no aconchego.

Com as nossas dicas, você vai descobrir:

Tá curioso pra saber como? Então vem com a Winter para aprender os melhores truques.

Paredes de jardim pequeno
Foto: Pinterest

1 – Aproveite as cercas e paredes

Quando o espaço para o jardim é pequeno, normalmente eles são ladeados por paredes. E como a ideia aqui é não perder espaço, a dica é seguir a mesma lógica do que fazemos dentro de casa, preenchendo esses espaços verticais. Do mesmo jeito que fazemos com espelhos, quadros e armários, existem plantas perfeitas para essa posição.

Você pode, por exemplo, utilizar trepadeiras e outras flores que cresçam bem verticalmente. Para que elas tenham uma descida elegante até o chão, você pode plantar em cestos ou outros recipientes que fiquem pendurados um pouco mais altos. Inclusive, dá pra fazer uma boa composição na parede com os vasinhos.

Ideias para jardim pequeno e simples
Foto: The Times

Existem várias espécies de flores que funcionam, mas a nossa sugestão são a estrela de jasmim, que tem uma florzinha branca muito linda e que ainda dá um belo contraste sobre o fundo verde. E a campânula, que dá um colorido bacana e que tem pétalas que fazem naturalmente o movimento em direção ao chão.

E que tal experimentar plantas comestíveis e frutas como alfaces e morangos? Você, sua família e seus convidados vão ter uma nova dimensão do tamanho do seu jardim e vão ter uma sensação única ao interagir com ele no dia a dia.

Cercas em jardim
Foto: Pinterest

2 – Divida os espaços e crie algumas surpresas

Outra das boas ideias para jardim pequeno e simples é dividi-lo em seções e ainda criar algumas surpresas como uma área de convívio e descanso. Para isso, você pode usar telas de bambu, treliças, cercas, paredes de folhagens e até alguns móveis de exterior. Certamente, isso vai ajudar a criar esses pequenos refúgios e também garantir a sua privacidade.

Pavimento para jardim pequeno e simples.
Foto: Pinterest

3 – Faça um pavimento correto

O chão do seu jardim, mesmo se não for gramado, também pode fazer uma boa diferença. É tudo uma questão de brincar com o olhar. O piso feito em quadrados faz seu jardim parecer menor. Mas se você quer aumentar a sensação de tamanho, organize as pedras ou azulejos  em formado diagonal, como se eles fossem pequenos diamantes.

Outra dica é utilizar peças em tamanhos e formas diferentes, como se feita com pedaços. Além de aumentar a sensação de que seu jardim está maior, vai dar um ar criativo, alegre e contemporâneo.

Pergolados
Foto: Don’t call me Penny

4 – Invista na privacidade

Um problema de jardins pequenos é que é muito fácil ter gente de fora olhando para ele, seja de prédios vizinhos ou, se seu jardim for na frente de casa, as pessoas que passam na rua.

Você pode, por exemplo, adicionar arcos e pérgulas afim de isolar um espaço onde você gostaria de ficar fora de vista, deixando as plantas crescerem em volta.

Mas tenha cuidado com plantas que crescem rápido demais: você pode acabar perdendo o controle e tendo que gastar tempo e dinheiro em poda com muita frequência.

Algumas plantas excelentes para isso são as espécies de rosas trepadeiras e as madressilvas. Elas tem uma folhagem linda e um cheiro bem suave e agradável.

cores do jardim
Foto: The English Garden

5 – Deixe o ambiente claro usando uma boa combinação de cores

Quando você começar a preencher o seu jardim, você pode acabar sentindo que está entrando menos luz. E isso pode ser um problema se a intenção é fazer com que ele pareça maior. Mas a solução está na combinação de cores, de acordo com a sua intenção.

Se você quer um jardim muito iluminado, com aquela luz gloriosa, invista nas cores vivas. Assim, a flores douradas, amarelo claro e rosa claro vão dar justamente esse efeito. Imagina que lindo vai ser quando o sol bater diretamente sobre elas. Veja algumas opções:

Mas e você quiser passar a sensação de intimidade, pode apostar em cores mais quentes, como as flores vermelhas e amarelo escuro.

As cores frias como roxo claro, branco e azul vão dar longevidade para o campo de visão, que faz com que qualquer ambiente pequeno pareça mais amplo.

Beija flor em jardim
Foto: Pikist

6 – Atraia passarinhos e borboletas

Mesmo dentro das ideias de jardim pequeno e simples, dá pra ter uma explosão de vida e energia. Por isso, pode ser muito interessante atrair a vida selvagem e fazer com que isso seja um espetáculo inesperado nas horas de lazer e relaxamento.

Você pode aproveitar para dispor no seu jardim algumas casinhas de passarinho, locais de alimentação e poleiros. Mas cuidado para não intoxicar os animais. Tem muita gente que coloca açúcar na água para ficar mais doce, por exemplo, e isso não é recomendado.

Além disso, é inevitável que o jardim atraia alguns insetos, então fique de olho se alguém na casa possui alguma alergia. Mas a maioria deles é inofensiva e pode ser muito divertido, em especial para as crianças, que podem aprender sobre diferentes espécies de animais.

Móveis para pequenos jardins
Foto: Rocket St. George

7 – Encontre os móveis certos

Para otimizar as ideias de um jardim pequeno e simples, os móveis podem ser grandes aliados para seu ambiente ser mais eficaz. Porém, se você escolher os móveis errados eles vão parecer bagunçados e vão roubar um espaço valioso.

Aqueles bancos e mesas grandes, que comportam várias pessoas, só funcionam em jardins espaçosos. Dê preferência aos móveis compactos, como aqueles conjuntos vistos em bistrôs. Além do benefício de ocuparem pouco espaço, eles dão um ar europeu, que muita gente aqui no Brasil curte reproduzir.

Você vai poder tomar café da manhã no seu jardim e nunca mais esses momentos serão os mesmos.

Ciclaime no cachepot
Foto: Winter

8 – Utilize suportes removíveis

Em espaços pequenos, a gente tá sempre tendo que ceder na hora de rearranjar as coisas. Mas o jardim também pode ser móvel. Se você não tem certeza e quer só testar o uso de algum espaço, aposte em cultivar plantas e flores em jarros e outros recipientes que você possa mudar de lugar.

Inclusive, isso é perfeito se você é de lua e acorda num dia qualquer querendo mudar as coisas ao seu redor.

E dá pra plantar até comida nos potinhos. Desse modo, alguns alimentos como feijão, alface, pimenta, morango, pimentão e cenoura crescem saudáveis nesse espaço limitado. Você economiza na feira e ainda garante alimentos totalmente orgânicos.

Fonte de jardim caseiro
Foto: Gardener’s World Magazine

9 – Adicione som e movimento

Sons baixos e constantes de fato  ajudam a relaxar. Não é à toa que o consumo de sons da natureza vem crescendo na internet por quem mora em grandes centros urbanos.

Para isso você pode adicionar uma pequena fonte, dessas que tem sua própria fonte e reservatório. Isso adiciona um ponto focal de descanso e pode ser seu oásis depois de um dia inteiro de trabalho.

🌼🌼🌼

Gostou das nossas ideias para ter um jardim pequeno e simples? Que tal experimentar algumas delas – ou todas! – e vir contar pra gente como ficou nas nossas redes sociais? Estamos te esperando lá no Facebook e no Instagram!

 

Plantas de baixa manutenção: dicas e cuidados que você precisa ter

A ideia de criar um lindo jardim com plantas de baixa manutenção é muito atraente e a gente sabe disso. Principalmente para quem ama a jardinagem, mas nem sempre tem tempo de sobra. Só que por trás de uma planta que não vai exigir muito de você, tem uma série de cuidados que, ainda assim, são necessários para que seu jardim não vire uma bagunça.

A forma como você planeja os seus canteiros é tão importante quanto as plantas que você vai escolher. Porém, aqui na Winterflor a gente quer mais é ver você feliz e satisfeito com seus projetos. Por isso vamos te contar o que considerar na hora de decorar seu jardim com plantas de baixa manutenção.

plantas de baixa manutenção
Foto: Karolina Grabowska/Pexels

 

A forma do jardim

É difícil um jardim que tenha só um tipo de planta. E esse é o primeiro cuidado do qual a gente precisa chamar atenção. Quando as plantas vão crescendo e preenchendo a paisagem, em algum ponto elas acabam se juntando. Assim, uma interfere no espaço da outra.

Quando esse jardim não tem manutenção, a tal da aparência saudável e exuberante pode dar a sensação de que ficou grande demais. Provavelmente vai rolar uma piadinha de que seu jardim virou uma floresta.

 

Formas de jardins
Foto: Andreea Ch/Pexels

 

Claro que, para muita gente, esse é mesmo o objetivo, de que as plantas cresçam e preencham os espaços vazios. Porém, se você busca plantas de baixa manutenção, provavelmente não quer ter que podá-las o tempo todo, certo? Mas isso pode ser um desafio, afinal, algumas plantas não param de crescer quando atingem determinado tamanho.

Sendo assim, vamos ver, então, algumas ideias para resolver essa questão.

 

Jardim aberto

Se você tem bastante espaço no quintal, pode optar por um jardim aberto. É só você cultivar as plantas longe umas das outras, para que elas não se misturem. Isso dá uma sensação bem limpa e atraente. Além disso, quem for admirar seu jardim, vai poder contemplar cada uma das plantas em detalhes, vendo a forma inteira das flores e das folhas.

Entretanto, também tem gente que não gosta desse modelo e considera que o jardim parece estéril. E você, o que acha?

Jardim aberto
Foto: Margaret Majua

 

O jardim super planejado

Se você já é do tipo que quer aquele jardim pomposo, preenchido, mas com aparência organizada e feito com plantas de baixa manutenção, você precisa de cuidados com o paisagismo.

Geralmente, esse tipo de jardim fica muito bem com arbustos baixos. Nesse caso, é importante você visitar uma floricultura e conversar com profissional sobre o tempo que cada planta leva para crescer. Afinal, quanto mais demorado, melhor, já que você está querendo ter pouco trabalho. Mas tenha em mente que, uma vez que eles cheguem no tamanho que você quer, você vai precisar se planejar para podá-los com alguma regularidade. As plantas de baixa manutenção são aparadas uma vez por ano.

 

Jardim super planejado
Foto: Pixabay

 

E por falar em poda, é importante você saber que nem todas as plantas reagem ao corte do mesmo jeito. Por exemplo: se você tem uma planta como o Rododendro no seu jardim, é bem mais complicado podar ele todo ano para manter no mesmo tamanho, já que você vai acabar sacrificando as flores. Mas é um tipo de planta que dura muito e deixa o ambiente muito florido, podendo ser podado a cada 10 anos e já é o suficiente. Assim, se for plantar um Rododendro, prefira ele num espaço grande onde ele possa crescer livremente sem que você precise podar em períodos mais curtos.

 

Plantas de baixa manutenção: quanto mais plantas, melhor!

Quem quer ter um belo jardim com baixa manutenção, também deve pensar de forma mais ampla. Os benefícios, você vai entender a seguir.

Plantas de baixa manutenção
Foto: American Beauties Native Plants

A guerra química entre as plantas (você pode manter a paz!)

A maioria das plantas tendem a ser alelopáticas. Mas o que é isso? Basicamente, elas emitem uma química que chega até as outras espécies de plantas, fazendo com o que o crescimento delas atrase e fique mais lento.

Pois é, elas são tão lindas na superfície, mas debaixo da terra é como se elas realmente disputassem uma guerra.

 

Plantio de várias espécies
Foto: Creative Vix/Pexels

 

Porém, olha só que legal: se você plantar várias espécies agrupadas num mesmo lugar, esse processo faz seu jardim ter variedade, beleza e crescimento mais lento. É como se suas plantas trabalhassem em conjunto.

Além disso, juntas elas parecem bem melhor. Elas vão se harmonizando com o formato do seu quintal e proporcionam um local calmante.

 

Cuidar do jardim
Foto: Lisa Fotios/Pexels

Trate 10 plantas como uma

Do ponto de vista da manutenção, outro motivo para plantar em grupos é igualmente animador. Você pode tratar o seu conjunto de plantas como se fosse apenas uma e a manutenção vai ficar muito mais fácil. Se você planta um grande grupo com 5 espécies de gramíneas, por exemplo, no período da poda pode, simplesmente, podar todos juntos, de uma vez só e mais rápido.

Seria bem diferente se as mesmas 5 espécies crescessem desordenadamente, cada uma com seu tamanho e uma invadindo o espaço da outra. Para quem quer plantas de baixa manutenção, isso é uma boa economia de tempo e esforço.

 

Plantas de baixa manutenção: perenes e lenhosas
Fotos: Adriana Calvo; Element Digital/Pexels

Plantas perenes e plantas lenhosas

Sabe aqueles jardins de babar que a gente vê em revistas de paisagismo? Pois é, eles dão o maior trabalho. Em geral, eles são uma mistura de arbustos muito bem cortados misturados com plantas perenes e flores anuais que todo ano você precisa replantar.

Se você chegou até aqui, provavelmente está disposto a abrir mão de todo esse luxo para ter mais finais de semanas livres, não é mesmo? Então, em vez escolher plantas perenes, que crescem de forma bem variada e para várias direções, nossa dica para você são as plantas lenhosas.

O legal das plantas lenhosas é que o caule delas é mais rígido, ou seja, a própria madeira. Assim, elas crescem muito mais bem definidas em volta de um único ponto, sem se espalharem demais.

A maioria das plantas lenhosas precisa de poucas podas, em intervalos grandes de tempo. E ainda assim elas mantêm a boa forma.

 

Plantas de baixa manutenção: lenhosas
Foto: Torsten Dettlaff/Pexels

 

Mas se você cometer o equívoco de escolher plantas perenes, que são muito mais delicadas, vai acabar tendo que lidar com remoção de flores gastas, fertilizar várias vezes e ainda vai precisar ficar de olho nos cuidados do começo e do final da temporada em que ela floresce.

Mas se ainda assim você quer um pouco mais de variedade e tem um pouco mais de tempo para manutenção, você pode compor o cenário da seguinte forma:

Para as plantas maiores você cultiva as plantas lenhosas, que têm baixa manutenção. Já nas menores e nas que vão dar um colorido extra, prefira as espécies perenes de baixa manutenção (sim, elas existem!). Isso dá um bom equilíbrio onde você ainda tem muita cor e uma aparência refinada sem muito barulho.

 

Tipos de lenhosas
Foto: Caio/Pexels

 

Tipos de plantas lenhosas:

 

Jardim é vida!

Os jardins feitos com plantas de baixa manutenção podem ser feitos em diferentes estilos e com diferentes formas de manter o local com um bom aspecto. Mas o que todas as paisagens bem sucedidas têm em comum é que os donos capricham nos cuidados, ainda que estes sejam feitos uma vez na vida e outra na morte.

E não se surpreenda se as plantas evoluírem ao longo do tempo para atenderem às próprias necessidades. Afinal, as plantas estão vivas e, como tudo que respira, elas crescem e mudam. Assim como nós, que estamos constantemente crescendo e mudando. Portanto, o processo de manter um jardim jamais deve ser visto como uma coisa estática. Aproveite essa explosão de vida que é o seu jardim!

E a nossa última dica para você não perder tempo: corre nas nossas redes sociais e pede pro Facebook e pro Instagram te avisarem toda vez que a gente tiver uma super dica com essa para você.

Até a próxima! 🌳

 

Girassóis: principais tipos e como cultivar

Vamos conhecer os principais tipos de girassóis e ainda descobrir como cultivá-los com sucesso? Continue a leitura e confira, eles certamente irão alegrar o seu dia 🌻

tipos de girassóis
Foto: Pixabay

Tipos de girassóis

Diferente do que muitos podem pensar, não existe apenas um tipo de girassol. Eles são encontrados em pelo menos 70 espécies, que se dividem em três grupos principais: Girassóis Altos, Girassóis Anões e Girassóis Coloridos. Então, vamos conhecer um pouco mais sobre cada um desses grupos e suas principais variedades:

 

Girassóis Altos

Eles podem atingir vários metros de altura, sendo que o maior já registrado chegou a 8,03 metros! É claro, não é tão comum que eles cheguem a alturas tão elevadas. Só algumas espécies bastante raras e que recebam cuidados muito específicos chegarão perto disso.

Os pássaros amam os Girassóis Altos, pois suas sementes são, para eles, um banquete farto. Se você pretende cultiva-los pelas sementes, será necessário instalar uma rede com pelo 5 metros de altura para proteger a plantação dos passarinhos.

Vamos conhecer alguns dos tipos de Girassóis Altos?

1- Girassol Arranha-Céu

Se tiverem o espaço e os cuidados necessários, suas alturas variam entre 3 metros a 4 metros e meio! Suas pétalas não ficam atrás, medindo em torno de 30 a 35 centímetros.

Foto: Pixabay

2- Girassol Gigante Americano

São muito populares e podem ultrapassar os 4 metros e meio. Os caules são grossos e firmes, preparados para sustentar as flores pesadas de, aproximadamente, 30 centímetros.

Foto: Pixabay

3- Girassol Mamute Russo

Este gigante e lindo girassol russo mede em torno de 3 metros e meio. Se você pretende atrair polinizadores como abelhas e borboletas, certamente esta é a melhor espécie do grupo!

Foto: gadenia.net

Girassóis Anões

Essas belezinhas são perfeitas para os jardins menores! A maioria dos Girassóis Anões não chegam a medir nem 1 metro. É possível plantá-los bem próximos uns aos outros, são de fácil cultivo e perfeitos para vasos e arranjos. Conheça 3 espécies de Girassóis Anões:

1- Girassol Sundance Kid

É um dos primeiros Girassóis Anões a serem catalogados. Medem de 30 a 60 centímetros e suas pétalas podem ter tons de amarelo e/ou vermelho.

Fotos: Getty Images, Sunsational Sunflowers.

2- Girassol Pacino

Estes pequenos e lindíssimos girassóis medem entre 30 e 40 centímetros. Produzem várias flores e botões no mesmo caule e, além disso, ficam incríveis em vasos e arranjos de verão.

tipos de girassóis
Foto: veseys.com

3- Girassol Sunny Smile

São os mais comuns entre os Girassóis Anões. Os girassóis Sunny Smile medem entre 15 e 45 centímetros e são extremamente fáceis de cuidar. Os talos são resistentes e os mini girassóis se parecem muito com uma versão em miniatura dos girassóis Gigantes Americanos.

Fotos: takii.com

Girassóis Coloridos

É verdade que, ao ouvir a palavra “girassol”, logo imaginamos a flor clássica: amarela, com o núcleo escuro cheio de sementes. Mas isso não é regra! Apesar da maior parte das variedades ter essas características, existem também variações com belos tons que de amarelo, não tem nada – ou pelo menos, quase nada. Confira:

1- Strawberry Blonde

Suas flores desbotam do branco creme para um rosa avermelhado impressionante! Suas flores são muito bonitas e os pés chegam a atingir 1,5 metros.

Foto: gardenia.net

2- Girassol Moulin Rouge

As belíssimas pétalas cor de vinho são super resistentes ao sol, ou seja, não desbotam com facilidade. São muito procuradas, e os pés costumam atingir 1,2 metros.

Foto: amazon.ca

3- Girassol Earthwalker

Com tons terrosos que variam entre marrons, vermelhos e dourados, esse girassol certamente vai chamar a atenção de quem passa! Normalmente atingem de 1,5 a 2,75 metros. São uma opção de fácil cultivo, e tem tudo a ver com a transição do seu jardim de verão para o de outono.

tipos de girassóis
Foto: higgledygarden.com

Como cultivar girassóis

Agora que você já conheceu diversos tipos diferentes da planta, é hora de aprender a cultivar seus próprios girassóis. Em geral, os cuidados com as diferentes espécies não são tão diferentes entre si. É claro, vão existir algumas variações nos cuidados, principalmente levando em consideração o tamanho da espécie escolhida. Mas não se preocupe, as dicas a seguir serão sobre o cultivo de girassóis em geral! Vamos lá?

 

Escolhendo o local

Primeiramente, é necessário ter em mente que o local precisa receber o máximo de luz solar possível. Serão necessárias de 6 a oito horas de luz solar direta, no mínimo. Isso porque, como o próprio nome diz, os girassóis amam o sol e giram para acompanhar a sua trajetória.

Tentar cuidar de um girassol dentro de casa, certamente não vai funcionar. A melhor opção é sempre cultivar em ambiente um externo, então, escolha o local com mais espaço livre do seu quintal ou jardim.

 

Preparando o solo

Antes de mais nada, você precisa preparar o solo pra receber as sementes, que deve ser fértil e bem drenado. Um solo bem drenado é aquele em que a água se infiltra com facilidade. Além disso, o solo não pode ser muito compacto, ou seja, a terra deve ser mais fofa.

Se você não tem certeza se o solo é fértil, misture com a terra um pouco de adubo de compostagem ou até mesmo adubos que sejam indicados para a plantas com floração. Sempre siga as instruções do fabricante.

 

Plantando a semente

Abra um buraco na terra de, aproximadamente, 2,5 cm de profundidade. Coloque as sementes dentro, cubra novamente com terra e regue. Mantenha o solo úmido durante todo o período de germinação, que ocorre entre 7 e 10 dias, então, após o surgimento da primeiras folhas, regue pelo menos 1 vez por dia, mas sem exageros! Água demais prejudica a planta.

Se for plantar mais de um pé, lembre-se de manter uma distância mínima de 25 a 50 centímetros de cada lado entre as plantas, assim elas têm espaço suficiente para se desenvolverem bem.

Foto: jardinierparesseux.com

Isso é tudo que você precisa saber para cultivar lindos girassóis! Eles florescem dentro de dois a três meses após a germinação, dependendo da espécie.

E lembre-se: se você quer flores bonitas por mais tampo e pretende aproveitar as sementes para novos plantios ou para outro fins, será preciso proteger a sua plantação com uma rede que permita que a luz do sol e o oxigênio entrem, mas que também impeça que os pássaros ataquem a planta em busca de alimento! Instale a rede levando em consideração o tamanho médio da planta, deixando sempre sobrar de meio a um metro para cima e para os lados.

Mas se você não se importa com as sementes e prefere atrair os passarinhos para o seu jardim, deixe-os ao ar livre mesmo. Certamente ficarão lindos!

Gostou do texto? Então acompanhe a Winterflor no Facebook e também no Instagram para ficar por dentro das novidades do mundo das plantas 😉

Até a próxima! 🍃

Como cultivar grama? Conheça 10 tipos e escolha o seu!

Quem pisa num gramado verdinho, bem aparado e refrescante muitas vezes nem imagina os cuidados que ele exige, afinal, parece que grama cresce em qualquer lugar, não é mesmo? Mas para ter um jardim bem acabado, você precisa saber como cultivar grama. E não é só deixar o mato invadir o terreno e depois aparar. É possível criar um gramado de maneira muito mais consciente e inteligente.

Existem vários tipos de grama e, cada um deles, exige cuidados e aplicações diferentes. Mas a gente vai te explicar de modo bem fácil como cada grama funciona. Assim, você pode, finalmente, dar aquele acabamento caprichado no seu quintal. Se tiver um vizinho com a grama mais verde, com certeza será a você. 🏠

Gramíneas, tipos e cuidados
Foto: Janoon028/FreePik

Quais são os tipos de grama comuns no Brasil?

Que o Brasil é um país de natureza rica, isso a maioria de nós já sabe. Mas o que pouca gente tem conhecimento é de como cultivar grama  e quais são os tipos mais comuns no nosso país. Algumas espécies são perfeitas para quem quer um ambiente para relaxar, para as crianças brincarem, para os animais rolarem. Outras, contudo, funcionam muito melhor para quem deseja que o espaço seja simplesmente decorativo. Conheça a seguir os tipos antes de escolher qual é o melhor para o seu projeto. 🌿

Grama esmeralda

A grama esmeralda é uma das mais fáceis de cuidar. Essa espécie é muito resistente ao calor, ou seja, para quem vive em lugares onde faz muito sol ou mesmo se você vai plantar num lugar mais aberto. Suas folhas são bem fininhas e ela ainda demora bastante a crescer. Sendo assim, você só precisa se preocupar com a poda de vez em quando – uma vez por mês já está ótimo.

A grama esmeralda também é um tipo sobrevivente. Além de não precisar de muito fertilizante, é firme o suficiente para aguentar o impacto do uso. Você pode aplicar tranquilamente nas áreas onde tem mais passagem de pessoas ou veículos. E, para completar, essa é uma espécie que ajuda o solo a não sofrer as erosões, algo que daria um aspecto não tão agradável.

Grama esmeralda
Grama esmeralda. Foto: Grass Seed

Grama Santo Agostinho

Você tem uma casa perto da praia e vem lutando pra saber como cuidar da grama? Pois saiba que a grama Santo Agostinho é o que você está precisando! Também conhecida pelo nome de grama inglesa, essa espécie é mais azulada e com muito mais resistência ao efeito da salinidade que vem do mar. Essa grama também resiste muito melhor às condições de frio, sombra e épocas secas. Assim como a grama esmeralda, ela cresce devagar e exige pouca nutrição.

Porém, ao contrario da grama esmeralda, essa espécie não pode ficar sendo pisoteada, ou logo logo você terá um buraco no jardim. Além disso, você precisa regar com frequência para que ela se mantenha saudável.

Santo agostinho
Grama Santo Agostinho. Foto da internet.

Grama São Carlos

Se você precisa cobrir um espaço um pouco maior, a grama São Carlos é ótima, já que tem folhas maiores dos que as dos exemplos que citamos antes. Assim como as anteriores, essa folha não tem necessidade de ficar sendo adubada para crescer. Porém, ela cresce com mais velocidade e precisa ser podada, pelo menos, a cada dez dias para não virar um matagal.

Embora a grama São Carlos não seja o ideal para lugares secos, por precisar de muito mais água, ela pode crescer formosa em locais quentes. Até mesmo solos mais encharcados criam um ambiente adequado para o cultivar essa belezinha.

Como cultivar grama São Carlos
Grama São Carlos. Foto da internet.

Grama Bermudas

Quer uma grama extremamente resistente ao pisoteio para a prática de esportes? Então você precisa da grama Bermudas, que é a mais utilizada nos campos de futebol e de golfe. A folha da Bermudas é bem fininha e, claro, para ser tão forte, precisa ser adubada pelo menos duas vezes por ano.

Você pode plantar a grama Bermudas tanto em ambientes quentes, como nos frios. O que não rola é deixá-la longe do sol. Se ficar muito sombreada, isso pode comprometer o crescimento da espécie. Além disso, você precisa se programar para aparar o rápido crescimento, que acontece a cada quinze dias.

Como cultivar grama para campo de futebol
Grama Bermudas. Foto: FreePik.

Grama Coreana

A grama coreana é uma das mais complicadas de cuidar, mas oferece um efeito estético muito interessante para decoração e paisagismo. São aquelas que tem um efeito mais aveludado e que, frequentemente, formam tufos quando crescem. Além disso, ela não é muito resistente ao pisoteio, por isso é indicada para lugares com pouca ou nenhuma circulação. Assim, ela só não é uma boa escolha, caso você precise que o gramado seja regular.

Outros cuidados que você precisa ter é cultivar essa grama em lugares quentes e úmidos, já que ela não se desenvolve bem em condições diferentes disso. A grama coreana também cresce rápido e precisa de poda a cada 10 dias.

Grama coreana
Grama coreana. Foto: Alexey Sergeev

Outros tipos de grama

As espécies a seguir não são tão comuns no Brasil, mas repare no quanto elas são lindas 😱

Grama preta
A grama preta: Foto: Tally Sally

Grama Batatais - como cultivar
Grama Batatais. Foto: Marcelo Cavallari.

Grama carpete
Grama carpete. Foto. Groundmasterls

Espécie azul de gramínea
Grama azul. Foto da internet.

Grama amendoim
Grama amendoim. Foto da internet.

Cipreste de verão
grama vermelha – cipreste de verão. Foto da internet.

Grama de gato

Deixamos esta espécie por último porque, dessa vez, não é uma grama qualquer. A grama de gato é algo que, literalmente, os felinos – e até alguns cachorros – podem comer.

Essa grama é rica em fibras e ajuda o intestino dos bichinhos a eliminar as bolinhas de pelos que, eventualmente, vão parar no organismo. Além disso, a graminha para gatos é tanto um petisco como uma diversão para o animal, o que contribui bastante para o bem estar deles.

Para quem não tem um jardim, a grama de grato pode ser comprada de maneira bem decorativa, em pequenas porções. Fica lindo e os gatos não resistem!

grama de gato
Grama de gato. Foto: Winter

E aí, gostou de saber como cultivar grama das mais variadas espécies? Você já sabia que existem tantas delas? Então conte para nós lá nas nossas redes sociais o que achou! Estamos no Facebook e, também, lá no Instagram.

Até a próxima!

 

WhatsApp
Precisa de Ajuda?